Páginas

sábado, 16 de janeiro de 2010

Fala sério, mãe...

Tomei a liberdade de usar o título do livro de sucesso da tijucana Talita Rebouças para intitular também a postagem do blog dessa humilde suburbana!

Vamos ao desenrolar da história, minha mão aos 22 anos (idade que eu estou prestes a completar) deu a luz a mim e 22 anos depois continua só comigo mesmo, mas por eu ser menina (ou mulher como preferirem) ela achou que poderia viver em mim e conseguiu enquanto eu era pequena e não pensava, durante os anos em que eu fui formando minha personalidade a coisa foi tomando outros rumo. Lembro nitidamente que por volta dos meus 10/11 anos de idade a desculpa por eu discordar dela era “Depois que você foi estudar no CVF tá outra pessoa” e eu saia batendo o pé porque não tinha nada nem ninguém me influenciando, e o tempo foi passando eu fui ficando cada vez mais diferente e distante dela, nossas brigas não eram tão frequentes, mas eram sempre sinistras e sempre terminavam com ela fingindo que nada aconteceu. Eu continuei crescendo, virando eu mesma e aprendendo a ser gente e ela não gostando da pessoa que eu sou já que não sou ela, e a desculpa ia mudando “Depois que você passou a andar com fulana e sicrana você mudou”, “Depois que fez 15 anos tá achando que é adulta, tá outra pessoa” e é sempre assim, a culpa sempre era dos lugares que eu freqüentava das pessoas com quem eu andava, ela nunca se deu o trabalho de perceber que basicamente essa sou eu, aceite-me e ponto final!!! A coisa piorou desde que parei de estudar e ela parou de “trabalhar” fora, ficamos as duas o dia inteiro em casa e como somos bem diferentes (Eu sou do tipo que prefere acordar arrependida e ela do tipo que prefere ir dormir com vontade) as brigas explodem o tempo inteiro. Ela é submissa de mais a tudo, isso me aborrece e BRIGA; eu gosto de sair, bater perna, falar besteira e ela não, daí BRIGA; eu gosto de falar sobre sexo (fazer também mas né? A religião proíbe então eu seguro a periquita rs) e ela é toda cheia dos tabus aí ela me ignora, muda de assunto enquanto eu falo e adivinha só ... BRIGA!!! ; eu gosto de política e sempre quero trocar informações sobre o assunto em casa e ela quer falar de coisas sem importância e bom isso não dá briga mas me frustra e aí qualquer outra coisinha termina em briga...

Engraçado como eu comecei esse post achando que teria uma conclusão mas não tem, né? Mãe e filha dividindo a mesma casa vai ser assim mesmo, o que fazer é me acostumar e period!

That’s All Folks!


Nenhum comentário:

Postar um comentário