Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011

Os Votos - Por Sergio Jockymann







Pois desejo primeiro que você ame e que amando, seja também amado.

E que se não o for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde mágoa.

Desejo depois que não seja só, mas que se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos e que mesmo maus e inconseqüentes sejam corajosos e fiéis.

E que em pelo menos um deles você possa confiar e que confiando não duvide de sua confiança.

E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos, nem muitos nem poucos, mas na medida exata para que algumas vezes você interprele a respeito de suas próprias certezas.

E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo para que você não se sinta demasiadamente seguro.

Desejo depois que você seja útil, não insubstituívelmente útil mas razoavelmente útil.

E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante, não com que os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com aqueles que erram muito e irremediavelmente.

E que essa tolerância nem se transforme em aplauso nem em permissividade, para que assim fazendo um bom uso dela, você dê também um exemplo para os outros.

Desejo que você sendo jovem não amadureça depressa demais,
e que sendo maduro não insista em rejuvenescer,
e que sendo velho não se dedique a desesperar.

Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram dentro de nós.

Desejo por sinal que você seja triste, não o ano todo, nem um mês e muito menos uma semana,
mas um dia.

Mas que nesse dia de tristeza, você descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, talvez agora mesmo, mas se for impossível amanhã de manhã, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes.

E que estão estão à sua volta, porque seu pai aceitou conviver com eles.

E que eles continuarão à volta de seus filhos, se você achar a convivência inevitável.

Desejo ainda que você afague um gato, que alimente um cão e ouça pelo menos um João-de-barro erguer triunfante seu canto matinal.

Porque assim você se sentirá bom por nada.

Desejo também que você plante uma semente por mais ridículo que seja e acompanhe seu crescimento dia a dia, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano você ponha uma porção dele na sua frente e diga: Isto é meu.

Só para que fique claro quem é o dono de quem.

Desejo ainda que você seja frugal, não inteiramente frugal, não obcecadamente frugal, mas apenas usualmente frugal.

Mas que essa frugalidade não impeça você de abusar quando o abuso se impor*.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você. Mas que se morrer, você possa chorar sem se culpar e sofrer sem se lamentar.

Desejo por fim que,
sendo mulher, você tenha um bom homem
e que sendo homem tenha uma boa mulher.

E que se amem hoje, amanhã, depois, no dia seguinte, mais uma vez e novamente de agora até o próximo ano acabar.

E que quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda tenham amor pra recomeçar.

E se isso só acontecer, não tenho mais nada para desejar”

Adeus Ano Velho..




E finalmente 2011 chega a seu fim, e eu não cheguei ao meu!!! Woohoo!!!!
Que ano porcaria foi esse, diz pra mim!!! Eu tive pneumonia, fui excluída dos meus próprios planos pro Carnaval, meus pais tiveram a pior briga que eu já vi na vida, ninguém estava lá para me estender a mão, uma coleguinha de faculdade só queria me derrubar...PORRAN! Só tomei o ano todinho!!!!
Mas ele chegou ao fim e eu cheguei ao fim do ano FELIZ!!!
Porque todas as coisas ruins que na nossa vida acontecem são para nos tornar pessoas melhores, para nos edificar.
Se eu não tivesse sofrido tanto no começo do ano, eu não teria tirado a bunda de dentro de casa para trabalhar, eu teria largado a faculdade quando as coisas começassem a fica difícil, como fiz da outra vez, ao invés de mudar de campus, de turno, de rumo...
E muita coisa boa me aconteceu em 2011 também, não sei nem porque eu foquei só nas ruins...eu arrumei um emprego, eu conheci muita gente boa, eu me dediquei mais a faculdade, eu amadureci.
Então é isso, quero mais que 2011 se vá e que 2012 seja 2012 melhores que esse ano foi. Quero sorrir, brincar, brigar, chorar, chorar de rir, sonhar, beijar, amar....porque tudo faz parte da vida! Quero aprender a levar as coisas de boa....


That' All (For This Year) Folks!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Mt 7, 1-2

"Não julgueis para não serdes julgados. Pois com o mesmo julgamento com que julgares os outros sereis julgados; e a mesma medida que usardes para os outros servirá para vós."
Mt 7, 1-2

Sempre venho falando sobre escrever um post sobre religião, mas ele acaba nunca saindo. Hoje sairá um ensaio dele, mas para isso preciso explicar o que me motivou a isso...

Desde março eu larguei o catolicismo por completo, talvez porque na hora eu me sentia sozinha e abandonada por Deus e pelos homens e a igreja não me oferecia uma esperança, talvez porque não me identificasse com os dogmas enfim...larguei. E desde então estava buscando o meu lugar no mundo. Em abril, comecei a trabalhar e lá conheci pessoas maravilhosas, entre elas 2 kardecistas que me encantaram com sua maneira de ver o mundo, um tempo passado assisti ao filme Nossa Lar e fiquei oficialmente apaixonada pela doutrina, então, comprei o livro O Evangelho Segundo o Espiritismo e comecei a ler, com a intenção de conhecer mais a doutrina antes de decidir que se queria segui-la.
Como qualquer livro que estou lendo, carrego o meu para cima e para baixo. assim sendo, o levo também para o trabalho. (Não trabalho mais no mesmo lugar que trabalhava quando conheci as duas kardecistas) Desde que comecei lá há 1 mês atrás eu assim o faço, algumas pessoas já tocaram no meu livro, mas nunca gerou polêmica, muito pelo contrário, o que gerou uma vez foi a descoberta que uma das pessoas que comigo trabalha segue a doutrina espírita.
Hoje, como nos outros dias, estava eu com meu livro sobre o balcão, mas ao invés de lê-lo estava conversando fiado com um colega de trabalho quando a menina da limpeza pegou no meu livro, leu, releu e analisou a capa e saiu. Passado isso fui buscar café e encontrei o síndico GRITANDO sobre seu debate com um kardecista onde ele havia dito que: "Eu sirvo a Deus e você serve ao diabo!!!!" entre outras asneiras...ah eu me doí, COMO ASSIM, BIAL? Quer dizer então que quem não é protestante segue ao diabo???? Oh caralho cê tá louco??? Enfim....Vamos as boas!!!

Antes de mais nada acho que religião nenhum é garantia de salvação (ou de condenação), não acho também que vestir a camisa de uma igreja é garantia de ser um bom cristão. Sem contar com a ignorância de palavras infundadas, sem conhecimento algum. Caso ele conhecesse antes de gritar sobre ele ser servo de Deus, ele deveria saber que o espiritismo também prega que o único Salvador é Jesus Cristo, só que sem os dogmas que a igreja gosta de colocar. 

A tal ignorância, acho que foi ela quem me afastou da igreja na verdade...

Enfim, o post foi mais um desabafo....
That's All Folks!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Adeus!!!


Antes de qualquer coisa gostaria de avisar que isso não é um bilhete suicida, sou frouxa de mais para acabar com a minha vida mesmo que ela esteja uma merda. Essa é apenas uma hipótese de bilhete suicida, caso eu cansada da minha vida me matasse.

Queridos seres humanos com quem tenho convivido, cheguei ao limite e infelizmente tive de privá-los da minha presença. Antes de qualquer coisa peço perdão a minha avó Margarida que será obrigada, anos depois de sentir a dor de perder um filho, ter de sentir a dor de perder uma neta. Sei que foi egoísmo da minha parte não levar isso em consideração, mas precisava partir. Peço perdão também ao meu pai que tanto trabalhou para pagar meus estudos e não pôde ver-me formada e a minha mãe que se esforçou nos últimos 23 anos, e teve todo esse tempo agora jogado no lixo e por fim, peço perdão a Janine e ao Matheus por não vê-los crescer como eu deveria ter feito.
Tantas coisas e pessoas me conduziram a esse momento e eu vou precisar falar com todos, entendam não é para fazê-los sentirem-se culpados, apenas para alertá-los para que isso não aconteça novamente no futuro e que outra pessoa não seja levada a essa caminho. A todos vocês que sabiam que eu tinha problemas e que não fizeram nada porque já tinham os seus próprios problemas, ou porque sinceramente não se importavam saibam que as vezes a pessoa só quer ouvir que tudo vai ficar bem, a todos vocês que fizeram questão de atrapalhar a minha vida pois não me queriam no caminho, tenham cuidado com a próxima vez que agirem assim. Mas entendam bem, a culpa não é de vocês, não vou ser filha da puta a esse ponto, não quero ninguém se sentindo culpado por um ato de covardia e egoísmo meu.
Antes de encerrar e ir embora de vez, peço perdão aos meus amigos em especial aqueles que eu nunca vi de perto, nunca pude abraçar apertado, mas moram dentro do meu coração. Espero de coração que possam ler isso. Aos amigos que conviveram fisicamente comigo, saibam que vou sentir sua falta e espero que sempre que derem risada de uma piada estúpida, vejam algum viciado em coca-cola, ouçam alguma coisa cantada pelo Glee Cast...enfim, não me esqueçam...




É mórbido, eu sei! É super bizarro escrever um bilhete suicida se você não planeja se matar, mas fiquei o dia inteiro pensando nisso e decidi fazer e como se escrevesse num papel poderia deixar largado e fazer minha mãe ter um infarto decidi postar aqui...

sábado, 17 de dezembro de 2011

Cadê a enfermeira?

Eu tenho preguiça dos revolucionários de sofá, eu não gosto de quem tenta salvar o mundo compartilhando imagens via Facebook, mas essa história da enfermeira é revoltante e me irrita extremamente. A psicopata matou o cachorro porque ele dava trabalho, vocês entendem isso? Quer dizer que aquilo que me dá trabalho eu posso matar? Crianças dão trabalho e ela tem um filho! Sem contar que era um Yorkshire!!! Que tipo de tanto trabalho uma bolinha de pelo pode dar? Trabalho da o Duke que come tudo que ele consegue enfiar na boca, trabalho dava o Marley e o dono dele ao invés de matá-lo escreveu um livro sobre ele! O caso é grave, revoltante e preocupante e acho que as pessoas tem direito sim de se chocar (e obrigação de agir de alguma maneira também.Só falar de nada adianta).
Mas sabe do que eu também tenho preguiça? De quem xinga muito no Facebook de quem xinga muito no Facebook. Olha, a opção desfazer amizade está lá, agora se por algum motivo você não pode desfazer a amizade tem a opção ignorar atualizações também. E se as pessoas se revoltam mais com o assassinato de um cachorro do que com corrupção, miséria e outras coisas, o que isso tanto te aborrece? Eu, particularmente, gosto mais dos meus cachorros do que de muita gente!
Agora chega de mimício, né? Deixa os revolucionários de sofá revolucionarem, deixa o pitbull procurar a enfermeira, deixa a galera reclamar...
Cada um na sua, oras!



That's All Folks!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

In your shoes




In your shoes é uma expressão americana que na tradução literal significa "dentro de seus sapatos", ou seja, no seu lugar. E eu amo essa expressão porque acredito que ela seja a que melhor descreve o ato de se por no lugar de alguém, estar dentro dos sapatos dessa pessoa. E vou explicar o meu ponto de vista com uma histórinha:
"Eu tenho uma sandália linda, preta, salto alto, fino, detalhes em prata. É o tipo de sandália que fica bem com qualquer roupa, de qualquer modelo ou estilo e transforma qualquer jeans e blusinha num visual legal. Até hoje não teve uma mulher que não tivesse elogiado a minha sandália. Mas eu quase não a uso, porque ela é desconfortável, machuca a sola, aperta o dedinho e é terrível pra andar...Deus do céu!"

E é isso, quem está de fora está elogiando a minha bela sandália mas só quem está dentro dela é que sabe o quando dói estar ali, pra quem está de fora ela é linda, pra quem está dentro um martírio! Estar nos sapatos de alguém é ter compaixão por essa pessoa, claro que se a pessoa não revela que o sapato está machucando você não vá adivinhar mas, as vezes ela anda mais devagar, ela faz careta enquanto anda ou faz cara de aliviada quando senta, e é nisso que as pessoas erram, elas se concentram na sandália LINDA e esquecem de perceber que tem alguém as calçando.


Oi? Por que eu estou falando esse monte de metáfora sobre sandálias e pés e caretas? Porque nesse momento eu estou caçando um sapato apertadíssimo! Esse ano de 2011 foi pra mim um sapato apertado, e algumas pessoas não se colocam "in my shoes". Sabem como eu passei meu 23º aniversário?  De cama, com pneumonia. Sabe quem estava comigo? Minha mãe e meus primos, de 4 anos. Sabe quantas pessoas haviam confirmado que passariam o dia comigo quando eu, com saúde, as convidei para uma pijama party regada a todo tipo de álcool que meu dinheiro pudesse comprar? TODAS e quantas apareceram no fim? 2, vieram, jantaram e foram embora.  Eu tive o pior carnaval da história da minha vida, eu sofri em uma manhã de carnaval uma decepção e adquiri uma dor que não foram embora ainda. Eu  repeti um semestre inteiro na faculdade porque tive que lutar contra uma piranha cu-mole tentando me derrubar, eu li coisas terríveis a meu respeito vindas de uma pessoa pra quem eu me dei de corpo e alma, eu  vi pessoas próximas a mim, pessoas que eu amo, pessoas que eu    amei, casando, tendo filhos, se formando e eu sinto como se isso nunca fosse acontecer comigo. Eu chorei sozinha no quarto por incontáveis madrugadas e   é claro, esse sapato de 2011 é exatamente como minha linda sandália preta, eu faço careta enquanto ando, ando bem devargazinho e sento sempre que possível , mas a galera não vê ou finge que não vê.

E é essa gente que me desanima, me faz perder a vontade, quase me fez perder a fé. Gente que pensa só em si, gente que acha que o mundo gira ao seu redor, gente que cochicha ao meu respeito quando eu passo (DENTRO DA IGREJA, véi), gente que ao ver minha mãe com um bebê no colo pergunta se é netinha dela (já que eu pra deixar a igreja, eu devo ter engravidado e sumido de vergonha), no fim...gente que só quer reparar no quanto que a sandália é bonita mas não liga se ela esta apertada!
Coloque-se mais dentro dos sapatos daqueles que te cercam!

That's All Folks!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Quem procura acha?

Hoje recebi 38 visitas, 36 vieram do orkut e as outras 2 foram direto pelo endereço do blog. Alô vocês que estão vindo aqui toda hora e não comentam: Acharam o que procuravam? Espero que sim.


2 beijos! ;)

sábado, 1 de outubro de 2011

Parece mas não é.

Esse é um assunto recorrente pra mim, já falei sobre isso por exemplo com a Liz e com o Lucas. Exitem muitas pessoas super parecidas por aí, inclusive entre os famosos. Zooey Deschanel e Katy Perry são um exemplo clássico, Lea Michele e Idina Menzel, Javier Bardem e Jeffrey Dean Morgan, Mila Kunis e Sarah Hyland, os exemplos são infinitos. Mas eu gosto mais de quando dois desconhecidos são totalmente parecidos e hoje me lembrei de alguns causos que ocorreram por isso.

Uma vez por exemplo minha mãe encontrou uma amiga e disse: - Até que enfim hein, preguiça! Acordou cedo!  Well, não era a amiga dela e ela ficou com a cara no chão!

Uma outra vez, numa festa na casa da minha tia, uma prima do meu pai viu minha mãe de costas e disse: - Ah só porque eu vim, vocês tinham que convidar essa gorda!! - Quando a pessoa virou, não era minha mãe (estávamos a caminha ainda) e sim uma amiga da minha tia.

Há algum tempo atrás, minha tia avó encontrou a neta aos beijos com um rapaz na porta do super mercado e arrasou com a menina, a  xingou, chamou de irresponsável, disse que ela não deveria estar matando aula e só quando acabou o esporro é que notou que a tal moça, não era a neta dela.

E pra fechar: Um dia enquanto passeava no shopping com a minha mãe, vi a Liz acompanhada de um belo espécime de homem e decidiu finalmente apresentar minha mãe a minha dinda, cheguei chegando: -Dinda!!! Quer dizer que está namorando e não contou nada, né? Bom aproveita e apresenta o bofe pra mim e pra minha mãe. Essa é minha mãe. -Guess What? Aquela não era a Liz e eu fiquei com cara de pato até a menina se recuperar e sair de perto de mim.

Well, lembro-me só dessas.
That's All Folks.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Casos de Família 2

Demorei a escrever esse post bem menos do que eu planejei. Infelizmente nesse momento minha mágoa está bem acesa e por conta disso esse post será 100% transparente e vou dizer TUDO o que sinto.
Como eu disse nesse post aqui, eu tenho um espírito sem luz na minha família, mas é sem luz MESMO, sem luz alguma, sem iluminação nem externa, mas enfim.
Essa pessoa é irmão mais velho do meu pai, ou seja, é bem coroa já que só meu pai já tem 51 anos, mas se comporta como uma criança birrenta. Está sempre implicando, fazendo as coisas pra irritar, xingando palavrão, um saco!
Não consigo me lembrar se ele sempre foi assim ou se foi a perigosa mistura maconha e cerveja que matou os neurônios dele e transformou ele nesse demônio (acha a palavra forte? vem morar aqui 1 semaninha) e hoje ele conseguiu mais uma vez tirar toda minha paz de espírito!!!
O que eu vou escrever agora é uma coisa bem forte, mas de coração? NÃO ME ARREPENDO E CONTINUO COM ESSA OPINIÃO: Se algum dia, no futuro, ele estiver doente e dependendo de alguma ajuda e eu for a única opção disponível: Eu deixo morrer!
Muito rancor? Com certeza!
Todas as abominações que eu já tive de ouvir, todos os palavrões, todas as vezes que eu tive de ver meus cachorros serem agredidos (e até assassinados), todas as vezes que ele fez minha mãe ir parar no hospital com a pressão alta, todas as brigas que ele iniciou, tudo isso me deixou com muito rancor, tudo isso me fez deixar de ver nele alguém que pudesse ser da minha família, agora ele é só uma mancha na minha árvore genealógica.Mas para que todo esse ódio e rancor dentro do meu coração não pareça apenas pirraça vou contar alguns causos que eu já passei.

Causo 1: Uma vez no começo de 2010 eu levei a filha dele para comprar o material escolar, e ela quis comprar tudo caro e eu ali controlando, exercendo meu papel de prima mais velha, mas ela acabuo estourando um pouquinho o limite e gastou um bocadinho a mais. Quando voltamos subimos para a casa da minha vó para ela guardar as coisas e eu apresentar as notas fiscais. Mas, como o Todo Poderoso adora fazer um rebu na minha vida, a alma pena chegou bebâdo como sempre e começou a arrumar confusão, xingar a menina e eu (besta que sou) a defendi. Sabe o que ele fez? Me expulsou e me proibiu de entrar novamente na casa da minha vó.

Causo 2: Todos os anos, minha mãe, a irmã dela, minha avó materna e eu vamos para Aparecida do Norte por um final de semana. E no ano passado eu fui na frente, não me lembro o porque, carregando TODAS as bolsas e o carro dele estava no caminho e eu esbarrei e soltou o retrovisor, SOLTOU, era só encaixar de volta. O que ele fez? Me chamou de piranha, disse que eu estava fazendo de proposito Uma delícia de pessoa, né?

Acho pouco? O.K Esse troço não gosta de cachorros, eu por outro lado, AMO e no momento três. Mas no passado assim que minha Suzy morreu, ganhei um pastor belga filhote, muito bonitinho Preto era o nome dele. Mas o Preto como filhote que era, era muito chorão. Sabe o que essa alma bendita fazia? Jogava água gelada pro cachorro calar a boca, aham e quando ele já estava dormindo era minha avó quem jogava água para que o filhinho dela (é ele tem mais de 50 anos, 2 filhos nas costas mas ainda mora com a mamãe) não acordasse e ficasse irritadinho. Sabe o que aconteceu com meu cachorro? Morreu!  E olha se for pra falar em cachorro tenho muito mais pra falar, ele está sempre chutando, batendo, deixando o portão aberto pra ver se o cachorro foge, dando vassouradas.

Mas a gota d'água nesse momento, o que me fez explodir e chegar a esse ponto (e também escrever o versinho que pus no post de domingo), foi o que aconteceu na sexta a noite.Bom o relógio da minha casa explodiu e nós ficamos sem luz, o que nos deixou sem muitas opções do que fazer a não ser conversar e conversar e conversar. Meu pai está trabalhando se segurança do Rock in Rio (pois é, até ele vai e eu em casa) então estavamos minha mãe eu batendo papo sobre amenidades quando o demônio passou pela janela e a harmonia deve ter deixado ele com dor nos ossos porque ele decidiu que era hora de dizer coisas doces come: "Vai se foder" "Vai pra porra" "Puta que pariu", mas nós continuamos a conversar ignorando por completo o ataque de nervos dele, não satisfeito ele decidiu entrar no carro (a nível de entendimento as janelas da minha sala dão na garagem do quintal) e ficar dando partida para que o motor fizesse barulho bem alto enquanto xingava palavrões ao acaso e nós continuamos a ignorar. Cansado ele subiu as escadas e voltou pra casa.

É assim o tempo todo, ofensas, palavrões, barulhos com o motor do carro.Tudo pra ofender (e ganhar um pouquinho de atenção) e é por isso que eu estou sim com o coração transbordando de rancor. Eu sei que não faz bem pra mim, mas é o que eu tenho pra hoje.
.

domingo, 25 de setembro de 2011

Casos de Família

Família a gente não escolhe, né? E todo mundo tem pelo menos um membro na família que se pudesse escolher já tinha excluído da árvore genealógica. Eu pelo menos tenho um, e ontem depois de ter passado uma situação que me tirou completamente do sério (e depois eu vou contar aqui) me veio um "versinho" na cabeça e eu escrevi e vou transcrever aqui.

Que triste deve ser viver na completa solidão, e precisar gritar, xingar, ofender só pra ter um pouco de atenção.
Afundar-se em um mundo particular criado por drogas, sejam elas lícitas ou não, viver numa fantasia onde todos estão ocupados querendo te destruir, um misto de criatividade e teoria da conspiração.
Talvez buscando a própria felicidade, talvez vivendo uma maldição, mas sem entender que na vida do outro nem sempre você é a motivação.
Sem o amor e o respeito daqueles que seus frutos são, segue acreditando que está sempre certo e os outros sempre errados estão.
Que triste deve ser viver na completa solidão.



Enfim, por hora é isso, num próximo post eu apresento a vocês o inspirador desse versinho.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Meu nome é MULHER!

Recebi esse texto por e-mail e achei ótimo, infelizmente não achei os créditos mas vale a leitura.



MEU NOME É MULHER


Eu era a Eva Criada para a felicidade de Adão 
Mais tarde fui Maria 
Dando à luz aquele 
Que traria a salvação 
Mas isso não bastaria 
Para eu encontrar perdão. 
Passei a ser Amélia 
A mulher de verdade 
Para a sociedade 
Não tinha a menor vaidade 
Mas sonhava com a igualdade. 
Muito tempo depois decidi: 
Não dá mais! 
Quero minha dignidade 
Tenho meus ideais! 
Hoje não sou só esposa ou filha 
Sou pai, mãe, arrimo de família 
Sou caminhoneira, taxista, Presidente do Brasil,
Piloto de avião, policial feminina, 
Operária em construçãoAo mundo peço licença 
Para atuar onde quiser 
Meu sobrenome é COMPETÊNCIA 
E meu nome é MULHER!!! 

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A difícil arte de levantar uma bandeira

Quando você assume a ideia de assumir e defender publicamente uma opinião é preciso ter muito cuidado, afinal você passa a ser a referência de muita gente naquele sentido.
Lembro-me da Ivete Sangalo, que durante a gravidez defendia o direito ao parto normal e levantou bandeira e na hora H agendou sua cesária. Ora bolas, se não tem coragem de entrar em campo, pra que vestir a camisa?
Mas o papo aqui não é parto e nem a Ivete Sangalo, é igual sexual, sexo casual, feminismo e outras coisinhas.

Em um dos meus dias de moradora do twitter, vi um tweet da Lele Siedschlag (@alesie) falando sobre uma das matérias mais faladas do Globo.com naquele dia, uma tal "nova Bruna Surfistinha" e naquele dia a Lele mostrou o twitter da moça (@vidadeleticia) e eu, curiosa que sou, fui atrás. Do twitter dela ao blog foram 2 cliques, e do blog a comprar a ideia que ela passava foram dois ou três posts.

Opa vamos deixar claro aqui, comprar a ideia não é querer fazer o mesmo, e sim defender o direito que ela tem de fazê-lo. Quanto mais via blogueiros e grandes veículos da mídia a atacando, entrevistas com falas Letícias indo ao ar ao vivo na Rádio Globo, mais eu achava que ela tinha mesmo que chutar o pau da barraca e mostrar que ela podia dar pra 100, 200, 958 homens em um ano e NINGUÉM tinha nada com isso. Deixa a moça levantar a bandeira da liberdade sexual, deixa ela mostrar pra todo mundo que mulheres tem direito ao sexo casual tanto quanto os homens. Até porque se só os homens fizerem sexo casual, as mulheres vão estar sempre sofrendo, né?

Mas aí a Letícia começou a namorar. E agora, José? Como pregar o desapego, o ninguém é de ninguém, o sexo sem compromisso quando se está em um compromisso?

Bom isso é o que a Letícia vai precisar descobrir e os leitores acompanhar. Vão ter aqueles que vão xingar, reclamar, espernear e os que vão deixar de ler.

Eu criei duas TEORIAS! Duas coisas que se passaram pela minha cabeça. E me condem e processem, mas acho que pensar ainda é um direito que eu tenho.

Vamos?

Teoria 1: O tal namorado sabe que a mulher que ele namora é a alma da Letícia Fernandez e ser o homem que domesticou a mulher que queria dar pra 100 homens deve ser envaidecedor. E talvez ela tenha se tornado um troféu.

Teoria 2: As pessoas que diziam que essa necessidade de fazer sexo com 100 homens era o jeito de preencher um vazio interior, estavam certas. E ela estava realmente apenas procurando um homem que valesse a pena transar 100 vezes.

Pode ser que minhas duas teorias estejam erradas, pode ser que as duas estejam certas, pode ser que só uma esteja certa. Mas como dito lá em cima, são apenas teorias, coisas que passaram pela minha cabeça. Que direito eu tenho de opinar? Bom, ela levantou uma bandeira não foi?


That's All Folks


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Eu quero você, como eu quero!!!!

Eu me apaixonei primeiro pela sua timidez, que te deixava com um ar de mistério.
Eu queria ter alguma vantagem sobre as outras, e ter você do meu lado, conversando que fosse, era a vantagem perfeita.
Depois eu me apaixonei pelo seu jeito, seu silêncio, seu charme.
Depois foi pelo sorriso. Ai meu Deus, que sorriso!
Depois me apaixonei pelo seu beijo, seu toque, seu abraço, seu aperto, seu encaixe, perfeitinho no meu.
Tudo tão bom, tão gostoso, tão feito sob medida pra mim.
E por fim, eu me apaixonei por você.




Onde está o meu equilíbrio? (Parte 1)

Seres humanos me encantam com a velocidade que me desencantam.
Uma palavra amiga quando eu estou triste transforma aquela pessoa em super herói, naquele momento, uma atitude babaca gratuitamente faz com que se torne só mais um conhecido e nada mais.
Nem sempre fui assim, no começo era só encantamento, todo mundo era lindo, todos tinham qualidades suficientes para suplantar os defeitos todos ficariam o resto da vida ao meu lado, ai como é gostoso ser inocente! Pena que não dura e com o tempo a gente vê como a vida é dura!
Porradas!Decepções!Pancadas!
Agora eu ainda me encanto, meu olho brilha e eu irradio, de primeira como sempre, mas para nisso. Pra conseguir ir até o fim, pra ganhar mais que esse amor inicial entrei em uma de que a pessoa tem que me conquistar, mostrar que merece a minha amizade. Ai que bobeira!!! Ninguém deveria ter que fazer isso, as amizades tinham que apenas fluir, mas eu endureci! Apanhei tanto que hoje tenho medo de deixar qualquer um entrar, porque já fico imaginando que a rasteira é questão de tempo. Mas e quem tá dentro? Quem tá dentro ainda bate, e eu sempre acho que as qualidades suplantam os defeitos, que aquele tapa não doeu tanto porque daqui a pouco vamos compartilhar um momento tão gostoso que eu vou esquecer. Acho que sou na amizade aquilo que algumas mulheres que apanham são com os maridos "Ele me bate, mas eu o amo e sei que ele me ama". E isso é errado em tanto níveis.
Por que raios eu simplesmente não deixo a porta aberta? Daí quem quiser entrar, nem que seja só pra espiar o visual, consegue e quem já está me batendo possa sair logo, ou eu mesma aproveite a porta aberta e ponha pra fora? Isso é um mistério, um mistério que eu estou resolvendo, aos poucos. Reconhecer que está errado foi meu primeiro passo, e passo dado não tem como voltar atrás, eu vou sempre saber que está errado e em algum momento eu vou consertar.
Pra que tanta intensidade? Pra que querer tudo com tanta vontade? Por que ser 8 ou 80?
Equilíbrio...eu preciso é de equilíbrio.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Aquele que tem um amigo tem um tesouro.

Bonito esse título, né? Tudo haver com aqueles cartõezinhos que as pessoas mandam no orkut, mas eu tirei da Bíblia. Pois é, são 4 anos de catolicismo impregnado e ainda uso a bíblia como referencial em algumas coisas, e não sei ao menos se algum dia isso vai mudar. Mas, estou fugindo do foco do texto, então voltemos a ele.

Como eu disse no post anterior eu preciso dar uma arrumada nas minhas gavetas internas para que as coisas que estão bagunçadas parem de se esbarrar e me permitam fazer coisas simples, e como disse também a faxina começaria ainda esse ano e achei que agora seria um bom momento.

Pra começar esse post vou explicar uns trechinhos do outro post e daí sigo com o post novo:

Tô sentindo que se eu não falar logo eu vou explodir, ou melhor, vou implodir.
Estou numa fase que seguro as coisas só pra mim e não divido os meus aborrecimentos com os outros por medo do que as pessoas vão achar, como vão reagir e se continuar assim vou "explodir pra dentro" e ao invés de conseguir seguir em frente vou passar o resto da vida engolindo sapos parada no mesmo cantinho (que é solitário e frio).


Principalmente quando eu tenho que ficar com tudo trancadinho, cada um na sua gaveta.
Eu não tenho que coisa nenhuma, né? Eu quero, e ter consciência disso é um passo importantíssimo, porque eu não tenho que manter os problemas guardados para não aborrecer os outros ou com medo de que eles julguem o que eu faço como mimimi, mas mesmo sabendo disso acabo sempre cometendo o ato falho de achar que tenho que trancar tudo, que meus problemas são só meus e ninguém tem nada com isso.

gasto todas as minhas energias pra esconder o que está tentando sair e isso me impede de fazer outras coisas
Tipo dormir! São 1:02h de uma segunda-feira e olha eu aqui no blog porque enquanto tentava dormir fui pensando no cabeçalho desse post e em alguns desses problemas.


Agora porque eu expliquei isso antes de "começar" o post? Simples: Porque eu não tenho amigos.
Que frase triste, né? Se quem tem amigos tem tesouros, quem não tem é um ser humano bem deprimente (Ou bem deprimido, no meu caso). Agora aqui começa um paradoxo, eu sou amiga de algumas poucas pessoas, mas essas pessoas, não são minhas amigas. E dói de mais assumir isso, assim em "voz alta".
Já pensei em chegar pra essas pessoas e dizer o que eu penso, mas tenho medo de perder a pseudo-amizade que elas me oferecem, e isso eu tenho noção de que é uma das coisas mais deprimentes que eu faço no momento, preferir migalhas de amizades a nenhuma amizade.

Migalhas, é isso que eu sinto que tenho. Ninguém está ali quando eu preciso, na verdade quando eu mais precisei, no começo desse ano, só uma pessoa me estendeu a mão e a pessoa era uma ex catequizanda. Só ela! Não estou a menosprezando, muito pelo contrário a partir daquele momento ela se tornou muito mais especial na minha vida do que pode imaginar, mas das pessoas que esperava um mínimo de apoio, porque apoiei e vou sempre apoiar quando estiverem precisando, NADA! NADINHA MESMO! Nem um: "Que barra hein"! Foi ali que eu percebi que se minha vida entrasse no apocalipse que estava sendo anunciado eu ia estar SOZINHA! Foi ali também que decidi que estava na hora de deixar a igreja como uma experiência legal, mas do passado. Foi ali que minha vida mudou, não exatamente a mudança que eu queria, mas uma mudança.
Que merda foi aquilo pra mim, no momento em que eu vi tudo que eu achava ser real na minha vida desmoronando diante dos meus olhos eu percebi também que quando acabasse de cair o último escombro eu ia estar sozinha e como aquilo me doeu, foram vários golpes, um em cima do outro. Mas quis Deus/a sorte/o destino/ a vida que o terremoto 9.2 na escala richter só balançasse as estruturas e não destruísse nada (só a mim).
Uma outra situação que me fez só confirmar foi a que marquei com uns dois dias de antecedência de ir visitar uma pessoa porque estava com saudade, queria vê-la,e no dia que iria pela manhã fui convidada a ir mais tarde porque ela queria visitar uma amiga. Qualquer outra pessoa desmarcaria, mas aquela seria a minha única chance nos próximos meses e fui mesmo assim e aí? Fiquei cerca de 10 minutos parada na portaria até alguém chegar e me por pra dentro. Mágoas ficaram claro que sim, mas não reclamei, de nada...me contentei com as migalhas.

E porque me contentar com migalhas? Bom porque talvez eu sinta errado, talvez eu apenas esteja esperando de mais das pessoas, talvez não seja migalhas, existe sempre a chance de que as pessoas simplesmente não estavam no momento de se dar, de me dar atenção, talvez quando o terremoto abalava as estruturas da minha casa, a casa deles era destruída por um tufão, talvez a pessoa que foi visitada estivesse passando por um momento difícil e precisava daquela visita, naquele momento...talvez, é sempre bom pensar no melhor, né? Eu prefiro assim, o mundo é mais bonito quando o vemos com óculos cor de rosa. Talvez também eu não seja tão boa amiga assim e esteja oferecendo aos outros somente migalhas, quem é que vai saber? Eu só imagino...

Desde aquela fatídica segunda-feira de carnaval quando meu mundo desabou na minha cabeça eu estou sendo só uma sombra de mim, antes disso eu já não estava muito bem, mas depois daquilo eu perdi meu chão, meu porto seguro, minha sanidade mental foi tudo embora! E foi depois dali que não sei se sinto que me oferecem migalhas por eu estar mais necessitada de atenção ou se foi dali que eu percebi que só me oferecem migalhas. Só o tempo irá dizer.

Eu tenho mais pra falar desse assunto, MUITO, MUITO MAIS! Mas eu vou encerrando por aqui, por enquanto.

That's All Folks




"Põe-me o braço no ombro
Eu preciso de alguém
Dou-me com toda gente
Não me dou a ninguém
Frágil
Sinto-me fragil
Faz me um sinal qualquer
Se me vires falar demais
Eu as vezes embarco
Em conversas banais
Frágil
Sinto-me frágil
Frágil
Esta noite estou tão frágil
Frágil
Já nem consigo ser ágil"

sábado, 10 de setembro de 2011

Brainstorn do dia


Tô sentindo que se eu não falar logo eu vou explodir, ou melhor, vou implodir.
Tenho TANTA coisa dentro de mim, tanto sentimento diferente, tantas hipóteses diferentes, tantos problemas diferentes. Coisas que nem ao menos estão relacionadas uma a outra decidiram que a hora de zicar era essa, todas ao mesmo tempo! Aí fica difícil, né? Principalmente quando eu tenho que ficar com tudo trancadinho, cada um na sua gaveta.
Mas é muito problema, muito detalhe, muita coisa pra sentir e pra pensar e aí as gavetas ficam sobrecarregadas e deixam sempre alguma coisa pra fora e pra tentar por tudo trancadinho na gaveta de novo, eu sofro porque gasto todas as minhas energias pra esconder o que está tentando sair e isso me impede de fazer outras coisas, coisas que talvez me fizessem me sentir melhor!
Dentro de mim agora é assim:




Mas eu ainda vou dar uma faxina, limpar cada cantinho. O problema é que quando a bagunça é muito grande não tem como saber por onde começar e tem bagunça que está ali há tempos e que vai me doer se eu tirar. Aff!
Eu começo a faxina ainda em 2011, quem sabe no dia 12/09 de 2012 as coisas já não estejam assim:




That's All Folks!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Protagonistas, coadjuvantes e figurantes

Protagonista é a personagem principal de uma narrativa, como obras literárias, cinematográficas, teatrais ou musicais. Sobre ela a trama é desenvolvida. As principais ações são realizadas por ela ou sobre ela.


Coadjuvante é aquele que não é protagonista ou é o nome genérico de outros personagens de menor importância.


Figurante é a personagem de um filme que não é fundamental para a trama principal e serve apenas como composição do cenário ou formação das personagens principais







Tendo plena consciência dessas informações eu pergunto, quem em sã consciência opta por ser apenas coadjuvante na vida dos outros, ou pior ainda,  simplesmente figurante na vida real?
Temos todos os dias 24 horas para agirmos a nossa vida! Por que então tem gente que se sujeita em ser um mero acessório na vida dos outros? 
No domingo eu fui a igreja, lugar ao qual eu costumava ir pelo menos 2 vezes na semana no último ano, e uma pessoa que eu não via a muito tempo, durante uma conversa me disse que eu estava "bem", e que nas últimas vezes que tinha me visto eu estava parecendo triste. 
E sabe de onde veio essa mudança? Do momento em que eu deixei de ser uma figurante naquela "comunidade"!  Na hora em que eu abri mão de ser uma composição do cenário da Jesus Sacramentado eu me libertei. Foi um passo difícil, doloroso e complicado (e eu ainda vou dedicar um post todinho sobre isso) mas eu consegui. Agora eu sou a protagonista e autora da minha história, uma coisa meio Woody Allen. A tal história ainda não está do jeito que deveria estar, mas a cada dia eu tenho a chance de melhorar e aprimorar, porque eu sou a protagonista, oras! As principais ações são realizadas por mim ou sobre mim. E chega de ser um personagem de menor importância ou uma composição do cenário. 
Preciso ainda de muita coisa para que a história seja do jeito que eu quero, mas a gente tem que começar de algum lugar e eu comecei afastando aquilo que não me fazia bem, nenhum pouquinho de bem!

That't All Folks!



sábado, 3 de setembro de 2011

Siga aquele táxi...

Que título é esse, gente? Pois bem...nem eu sei.
A verdade é que tenho sentido diariamente uma vontade louca de voltar a postar aqui, mas nunca consigo pensar em exatamente o que escrever.
Já tive vontade de falar sobre a Letícia Fernandes, sobre minhas posições religiosos e filosóficas e sobre mais uma pá de coisa que vem em forma de Pensamento e Devaneio no caminho da faculdade, na ida ao banco, enquanto jogo The Sims...mas não rola...agora mesmo, vim pra cá cheia de disposição de escrever mas falhou...quem sabe até o fim de setembro não saia alguma coisa?

sexta-feira, 27 de maio de 2011

TPM - Tenham Paciência

É impressionante como a minha TPM não me deixa em paz nem por um mêsinho sequer...ela nunca esquece de mim!!!
E esse mês não foi diferente, na quarta feira ela veio em forma de vontade incontrolável de comer doce, e comi! Ontem ela veio em forma de carência e chororo...e eu chorei! E hoje ela vem em forma de irritação! Falou comigo de um jeito que eu não ache certo, ou seja, falou comigo o barraco quebra!!!!
Mas que saco!


Não tem um mês que isso não me aconteça! E pra piorar não tem um mês que as pessoas entedam que eu estou sensível, chorona, irritadiça e com vontade de matar e morrer!!! Será que é pedir muito 7 dias de compaixão a cada 28 dias?


Não quero que me tratem diferente, só que tenham paciência e entendam que não estou a fim de fazer algumas coisas e estou muito a fim de conversar, que quero, ao contrário do outros dias, que escutem os meus problemas, as minhas aflições, as minhas angústias, entendam a minha ansiedade!!!! Poxa...é só uma semaninha por mês!!!! Depois a gente volta ao normal...Eu volto a escutar todo mundo quietinha.Tem como?


That's All Folks

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Na Balança


Estou de dieta, de novo, mas dessa vez a coisa é mais oficial. Primeiro porque uma Nutricionista (na verdade uma estudante de nutrição quase formada) fez o meu cardápio de R.A (reeducação alimentar pra quem não sabe) e porque me juntei com uma amiga pra criar um diário virtual (aqui) e escrever todos os dias como a gente se sente sobre isso.
Mas porque fazer dieta? Bom primeiro porque estou gorda, oras! Tenho 1,68 m, e estou pesando 77,4 kg, ou seja, redonda!!!! E depois porque o sobrepeso está começando a me incomodar, minha auto-estima deu uma caída e isso não faz nada bem, então vou começar a lutar contra aquilo que me incomoda, no caso esses 22 kg a mais no meu peso. Estou começando a R.A hoje e não parar nunca, né? Já que é uma reeducação e quando eu perceber já estarei educada, mas pretendo documentar essa R.A até eu conseguir atingir meus 55 kg, claro que existem algumas considerações a serem feitas, SE eu chegar a um peso acima de 55 kg que eu considere bom não vou insistir em perder mais peso, não sou doente e nem nada!
Mas acho que é só isso...vim mais contar pra vocês que vou manter um terceiro blog, apesar do segundo estar mais abandonado que sei lá o que....

That's All Folks...


sábado, 7 de maio de 2011

Preguiiiiiça...

Eu ando com um preguiça de tudo, preguiça de ir pra faculdade, preguiça de ir trabalhar, preguiça de ir pra terapia, preguiça de abrir o msn e principalmente preguiça das pessoas!!!!! Ai como as pessoas são cansativas e enjoadas e repetitivas e me cansam!
Sério, tá faltando alguém surpreendente da minha vida, alguém original, alguém que faça algo novo, diferente....porque todas as pessoas que me cercam são extremamente previsíveis!
Talvez eu esteja querendo tanto essa mudança geral na minha vida que esteja ficando preguiça dessas almas que tem "personalidade".
Sim porque eu já ouvi muito, e acho que vocês já devem ter ouvido também frases do tipo: "eu não mudo a minha personalidade por ninguém", e aí me vem a curiosidade, será que essas pessoas sabem o que raios significa a palavra personalidade? Eu duvido!!!!

Personalidade; do grego persona, que significa máscara; a imagem que você se apresenta mas não é, ou aquilo que você mostra para esconder o seu “Eu” para se adaptar ao meio em que vive.


Deu pra entender? Personalidade nada mais é do que a máscara que vocês vestem pra esconder dos outros quem vocês são de verdade!!! Ninguém tem o seu "Eu" definido pra sempre, estamos sempre em fase de aprendizado e essas pessoas de "personalidade forte" estão pra sempre presas atrás de uma máscara que as impede de viver!!!

Mas voltando a falar da minha preguiça e do desespero por mudanças. Minha preguiça de fazer as coisas é porque me sinto correndo em uma esteira rolante, sabe? Você corre, corre, corre se cansa mas não sai do lugar. Eu acordo cedo, pego ônibus cheio, atura coleguinha que quer puxar o tapetinho de baixo do meu pézinho, volto pra casa, engulo o almoço, corro pro trabalho, ouço todo tipo de história, volto pra casa, tomo meu banho e durmo! Sempre assim...eu tô muito mais cansada do que estava durante as férias, mas de resto? Tudo igualzinho...e agora me deu preguiça de continuar. Isso é um problema não é mesmo?
Bom, eu vou voltar aqui depois (esse depois pode ser mais tarde, amanhã, daqui dois meses...tudo é muito relativo...) e falar mais de muitas coisas, mas agora vou tentar por os pensamentos no lugar porque o tempo que escrevi me ajudou a pensar numas coisinhas aqui....


Thats All (for now) Folks...

Mas já que o tema central é preguiça....

sábado, 30 de abril de 2011

Teimosa não, eu sou persistente...

Essa sou eu, voltando a blogar...E aí?
Bom, como eu já havia dito aqui, eu estava decidida a mudar radicalmente depois do carnaval. Ia loprar, meter o pé na jaca e depois ser uma nova mulher e olha, ainda bem que não deu certo, porque parando pra pensar agora essa foi a ideia mais imbecil que eu tive NA VIDA. Primeiro porque ninguém muda de uma hora pra outra e segundo porque que clichêzão seria, né?
O plano original não deu certo, maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas a ideia original foi mantida e eu venho mudado bastante desde o carnaval, primeira coisa foi tirar minha bunda de casa e ir caçar um trabalho e olha só isso já é uma puta mudança. Mas estava faltando alguma coisa ainda e parei pra pensar que em seriados, novelas, filmes, peças de teatro, livros e nas porra tudo uma mudança de personalidade vem acompanhada de uma mudança de visual, então por isso...hoje vou mudar o pichaim.
Mas isso tudo é apenas uma estratégia para que eu tome coragem de persistir (ou teimar) numa atitude que até agora não surtiu efeitos, então o plano agora é mudar de visual, contar até dez e tentar de novo...de um modo diferente....
(Falei, falei, falei e não disse nada)

E pra terminar falando em estratégia:


domingo, 10 de abril de 2011

Eu cresci...

Rá! O título em nada tem a ver comigo e meu crescimento, seja ele físico, pessoal ou nada do tipo. Na verdade é que não achei um melhor título pra esse post. Bom, estava eu deitadinha na minha cama, lendo meu livro e ouvindo música quando DJ Shuffle deu uma de engraçadinho e colocou duas músicas seguidas da Pink e eu me ative há alguma coisa.... e quero que vocês se atenham também.

Don't Let Me Get Me - 2002 (Não consegui achar o clipe oficial, sorry)


Um trecho da música diz:

Eu sou um risco pra mim
Não me deixe comigo mesma
Eu sou o meu pior inimigo
É ruim quando você irrita a si mesmo
Tão irritante!
Não quero mais ser minha amiga
Eu quero ser qualquer outra pessoa


A letra é uma composição da própria Pink, ou seja, a jovem Alecia Beth tinha problemas de auto-estima daqueles bem sérios.

Fucking Perfect -2010




Um trecho da música diz:

Você é tão mau
Quando fala sobre si
Você está errado. Mude essas vozes
Na sua cabeça
Faça eles gostarem de você dessa vez.

A letra também é da Pink! Mas a postura agora é outra. Agora ela insiste que devemos ter plena consciência de que não somos menos do que Fucking Perfect , em outro momento da música ela diz que cansou de ligar pras críticas e acho que isso deve ter sido o principal fator para ela crescer tanto: NÃO LIGAR PRAS CRÍTICAS!!!!
Se está ruim conviver com você mesmo, respire fundo conte até dez e relaxe e depois pense em coisas ao seu respeito que você gosta, sempre vai ter pelo menos uma coisinha...se atenha a isso e pense em como melhorar as coisas que você e apenas VOCÊ não goste, as críticas??? Mande todas as favas!!!! Faça como a Pink, passe de pessoa que não consegue suportar o reflexo no espelho a um grande apaixonado por si mesmo!!!!

That's All Folks!!!!!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Gerações, Gerações....ah as Gerações

E aí, pessoas belas que perdem tempo lenod meu blog? Tempo que eu não atualizo essa coisa, né? Mas é que tem mil coisas acontecendo na minha vida, depois eu conto sobre isso, mas só no sábado quando tudo for finalmente oficial \o/, enfim, vocês lembram desse post aqui, então eu tô master ansiosa desde então. Há alguns dias a fanpage oficial do The Sims no facebook anunciou uma Super Secret Surprise, que eu já sei que é o lançamento oficial do Gerações mas mesmo assim fiquei mega animada, inclusive desde domingo eu venho fazendo contagem regressiva pra esse lançamento no twitter, mas hoje de manhã passeando por fan sites de The Sims achei o vídeo OFICIAL de lançamento do jogo, com data de lançamento pra junho...e aí eu digo JUNHO, JUNHOOOO...falta muito tempo de mais, gente!!!!! Mas vamos lá?
Vídeo Oficial:



Cês viram tudo que tem? Tem caixa de areia, casa na árvore, um bagulho de escorregar na água, carrinho de bebê, tem filmadora, despedida de solteiro, chá de panela, amarelinha, formatura, festa de casamento DE VERDADE...ai ai ai, viu? Agora é ficar mais ansiosa!!!!
A vantagem é que em junho eu estarei de férias, né? O que significa mais tempo pro The Sims....é

Só pra terminar, acho que quando concordei com os termos de instalação lá no The Sims 1 sem ler, uma das cláusulas era vender a alma pra EA e ficar dependente deles porque olha...

That's All folks!!!

quarta-feira, 23 de março de 2011

Por que eu não aprendo nunca?

O colunista Sidney Harris conta uma história em que acompanhava uma amigo à banca de jornais.
O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro.
Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo de Harris sorriu polidamente e desejou um bom fim de semana ao jornaleiro.
Quando os dois amigos desceram pela rua, o colunista perguntou:
"Ele sempre te trata com tanta grosseria?"
"Sim, infelizmente é sempre assim".
"E você é sempre tão polido e amigável com ele?"
"Sim, sou".
"Por que você é tão educado, já que ele é tão indelicado com você?"
"Porque não quero que ele decida como eu devo agir"
.



Esse texto é na verdade a resposta ao título desse post. Por muito tempo eu ficava me perguntando em porque insistir em uma amizade que não existe há muito tempo, porque tratar bem uma pessoa que não me trata bem, porque fazer favores pra uma pessoa que nem ao menos AGRADECE aos favores que eu faço, o certo seria simplesmente deixar pra lá.Mas eu não posso deixar que outra pessoa decida como EU devo agir. E eu vou continuar sendo amigável sim, é o meu jeito...só não acredito mais, mas continuo sendo a mesma. Não é o comportamento de pessoas toscas, rudes, ignorantes que vai decidir como eu devo agir.Eu sou dona da minha vontade. Eu decido como devo tratar as pessoas de meu convívio!!!


That's All Folks


sábado, 19 de março de 2011

Exige muito de ti e espera pouco dos outros. Assim, evitarás muitos aborrecimentos....

Exige muito de ti e espera pouco dos outros. Assim, evitarás muitos aborrecimentos....

Essa frase de Confúcio é de um brilhantismo inexplicável, principalmente em tempo de globalização e facilidade de julgar, criticar, trollar pessoas que você mal conhece ou em alguns casos, nem conhece! A gente (e me coloco nesse meio) acaba esperando que todo mundo seja super, se decepcionando no primeiro sinal de humanidade e achando que pode aloprar a pessoa por conta disso (aconteceu comigo já, ao perceber que uma das pessoas que idealizei na infância, era GENTE), ou nos achamos melhores amigos pra sempre de gente que nunca nos olhou nos olhos e nos achamos no direito de entrar em briga, xingar e o caramba pra defender essa pessoa, sem nem ao menos querer saber o lado da outra (outra coisa que já me aconteceu. Talvez esse post todo seja mais pra mim do que pra qualquer um que vá lê-lo), acontece também de julgarmos, criticarmos, reclamarmos do que outra pessoa faz/fala/divulga/expõe da sua vida virtual e aí que entra a citação do Confúcio:”Exige muito de ti e espera pouco ds outros. Assim, evitarás muitos aborrecimentos...” É simples assim, tenho que cobrar apenas de mim, do outro tudo que tenho que ter em mente é que é limitado, que é GENTE! Seja o ídolo, o bofé, o amigo (pessoal ou virtual), o troll, o trollado...espere sempre pouco do outro, exija apenas de si! Afinal, a única vida que você pode mudar é a sua! Todos nascem e morrem, igual, o que fazemos no meio é que faz diferença!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Rebecca Black, sua linda

Muito raro rolalarem dois posts por dia nessa bagaça, mas apaixonei em Rebecca Black e tô precisando compartilhar tanta lindeza com vocês!
A música é tosca, a letra não faz sentido, o auto-tunes grita e a Becky (ela me fez rir tanto que já somos BFF) canta tão bem quanto, sei lá...eu!!!
Fiquem com o vídeo de Friday:



E com as artes dos meus migs da interweb:








Ai gente, tem muito mais aqui!!!!

Sério, Rebecca Black FTW!!!!

Felicidade Realista

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote
louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo,
usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o
suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.

Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.


(Martha Medeiros )

terça-feira, 15 de março de 2011

Ah a ansiedade...

Desde Caindo na Noite me surgiu um defeito de fábrica por assim dizer, sempre que sei que vem uma nova expansão, o meu The Sims perde por completo a graça, já que fico na expectativa de realizar as interações que virão por aí.
Hoje decidi que usaria minha manhã de folga pra jogar The Sims até as crianças irem pra escola e eu ter o silêncio necessário pra estudar de fato, e lá fui eu...carreguei o jogo, escolhi um dos saved games, afinal um já está guardado pra eu jogar só depois do Gerações (no caso é o mesmo Saved que eu guardei pra jogar depois do Late Night) e comecei a jogar, na casa no meus Sims existe um quarto de jogos e olhando pra esse quarto fiquei pensando no baú de fantasias e nos 3 filhos dos meus sims brincando ali, fantasiados...e pronto, já estava eu imaginando o que poderia e eu gostaria que tivesse nessa expansão, a princípio pensei em postar na The Sims Brasil, mas depois do acontecido sobre a D.Morte eu fiquei com medo de falar de mais por lá e lembrei que eu tenho um blog, né? Fechei o jogo e vim contar pra vocês.
Mas aí o fantástico aconteceu, esqueci TUDO que havia me empolgado ao começar a escrever esse texto, juro!
Enquanto escrevia tive contato com um caso bizarro sobre uma pastora que foi estuprada e expulsa da igreja por conduta imoral (leia aqui) e de uma pessoa que condenou quem ajuda animais da tragédia de Teresópolis e disse que deveriam ajudar as pessoas e mimimi e que não tinha dinheiro mas ajudava com oração (leia aqui) e isso me distraiu por completo...primeiro pela intolerância religiosa, fanatismo e absurdos que vejo diariamente, depois pelo absurdo que é gente que acha que cachorro não merece amor, respeito e que animais tem que receber apenas o cuidado que sobrar das pessoas...e pra finalizar enquanto escrevia o texto pensei na minha terapeuta dizendo que eu fujo da realidade e comecei a pensar se minha entrega exagerada ao The Sims e minha ansiedade não são apenas um jeito de fugir da vida real, e os planos e expectativas pelo Gerações sumiram da minha mente.
Talvez o The Sims seja mesmo a minha válvula de escape, seja minha ilha livre de problemas. E aí entra uma outra questão e uma de imensa importância: Problemas fazem parte da vida e nos ajudam a crescer!
Mas antes que eu comece a divagar e o texto perca o sentido por COMPLETO, vou me encerrando por aqui.

That's All Folks!

sábado, 12 de março de 2011

Enquanto isso em Sim City...

Sou uma master fã de The Sims desde que fui apresentada ao primeiro da franquia há uns bons 9 anos atrás. Desde então não parei, claro que dar 7/8 horas de jogos diários (todos os dias) eu reduzi bastante e hoje tem dias que nem ao menos jogar eu jogo, afinal nesses 9 anos eu passei de 12 pra 23 anos, né?

Mas vamos falar do que me motivou a escrever esse post, sim?
Ontem eu tava passendo pela The Sims Brasil, comunidade que já foi falada nesse post aqui, e como faço pelo menos uma vez na semana, fui ver se tinham notícias sobre expansões...e tã dã, deparei com notícias das duas próximas expansões. Sabe o que é isso pra um ser humano que surta com expansões do The Sims, sabe?

E o pior é que as duas expansões me surtaram. A Generation que é a que deve sair agora em maio, me surtou porque tem formatura (prom night na verdade), carrinhos de bebê, filmadoras, casa da árvore, arco e bolo pra casamento...NOSSA!! E as fantasias pras crianças? Caracaaaaa!!!! Tudo de bom...




E aí...veio o maior surto de todos...O MAIOR SURTO DE TODOS...em outubro sairá o The Sims Unleashed, ou seja, ANIMAIS...sim...bichinhos, cachorros e gatos e mais, cavalos, peixes, hamsters...putz!!!!




Agora é ficar ansiosa igual, ou pior, do que fiquei com o Late Night (confira nesse post aqui)....

E é isso!
That's All Folks!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Our babies will be smart and beautiful

Há um tempo atrás eu achei o site Make Me Babies e me lembro de ter me divertido horrores criando bebês com os bofes que eu achava gatinhos e também com famosos que eu achava gatinho. Hoje depois de ver fotos do meu futuro marido quando novo e imaginar como seria nossos filhotes, fui levada novamente a esse site.
A pequena Hope Badgley saiu uma graça, apesar do cabelo loiro de mais.... e a ideia original que era fazer um filho com cada celebridade subiu no telhado e decidi ter 2 com o Penn mesmo, mas aí meu fanatismo por séries me fez ficar meio louca e assim nasceu minha louca família.
Hope e Dallas (um casal de filhos, com Penn Badgley), Doug (com Jhonny Gallecki), Lilly (com Cory Monteith) e a caçula Jill (com Mark Salling).
Bora ver as crias?


Hope



Dallas


Doug


Lilly


Jill


Bom, acho que tirando a Hope o resto é feio de dar dó....

E eu me animei, bastante até, e tentei fazer as mesmas crias no Morph Thing mas deu TAAAANTO trabalho e eu não pude escolher o sexo do baby, então fiz só um baby com o Penn:



Well...já deu!

Gostou? Quer tentar? É só vir aqui: Make Me Babies (tem que fazer cadastro) ou Morph Thing. Ah e tanto em um quanto em outro, o filho não precisa ser com celebridades, pode ser com o bofe que você tem ou quer ter.O legal do Morph Thing é que dá pra misturar celebridades entre si e criar uma nova pessoa e aproveitando essa onda, vou criar um "marido perfeito" juntando Penn, Cory, Johnny e Mark só pra terminar esse post de boa.



Até que ficou pegável, né?


Well, That's All Folks!!!