Páginas

domingo, 25 de setembro de 2011

Casos de Família

Família a gente não escolhe, né? E todo mundo tem pelo menos um membro na família que se pudesse escolher já tinha excluído da árvore genealógica. Eu pelo menos tenho um, e ontem depois de ter passado uma situação que me tirou completamente do sério (e depois eu vou contar aqui) me veio um "versinho" na cabeça e eu escrevi e vou transcrever aqui.

Que triste deve ser viver na completa solidão, e precisar gritar, xingar, ofender só pra ter um pouco de atenção.
Afundar-se em um mundo particular criado por drogas, sejam elas lícitas ou não, viver numa fantasia onde todos estão ocupados querendo te destruir, um misto de criatividade e teoria da conspiração.
Talvez buscando a própria felicidade, talvez vivendo uma maldição, mas sem entender que na vida do outro nem sempre você é a motivação.
Sem o amor e o respeito daqueles que seus frutos são, segue acreditando que está sempre certo e os outros sempre errados estão.
Que triste deve ser viver na completa solidão.



Enfim, por hora é isso, num próximo post eu apresento a vocês o inspirador desse versinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário