Páginas

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Favor: Nunca mais

 




Britoca says: -Hello big african americans
Meu último post soou como #mimimi? Se sim, só lamento! Anyway....
Hoje estou mais bem humorada, ontem Deus havia colocado meu dia no modo hard, e aí não dá pra manter um sorriso no rosto...
Não tenho sentido muita vontade de sair de casa e evito isso ao máximo, passo boa parte do tempo na cama com o notebook, só levanto pra malhar, tomar banho e comer...só. Minha mãe anda numa TPM (tensão pré menopausa) do capeta e passa horas do dia com cara de bunda e me ignorando, então passo boa parte do dia sozinha e em silêncio, o BBC anda mais parado que água de poço então entro lá uma vez ao dia, quando entro. Meu dia anima quando dá 7 horas e o Valber volta do trabalho, aí vamos malhar, jantar e tudo mais...


Ontem estava aqui sentadinha no meu canto jogando The Sims (minha terapeuta diz que eu uso o The Sims pra fugir dos problemas da realidade) quando minha tia ligou perguntando se eu queria ir com ela até a Ilha do Fundão, levando em consideração que: 1.Eu não sinto vontade nem de sair da cama e 2. Ontem estavam 35ºC, sol forte, nenhuma nuvem no céu e nenhuma brisa leve, óbvio que eu disse que nope, thank you e então ela sugeriu que eu fosse pra lá tomar conta da minha vó. Okay, é aqui pertinho e eu ia trocar minha cama com o note pelo sofá da minha vó com a TV...e lá fui eu, de havaianas, short jeans e camiseta véia. Passadas algumas horas minha tia liga e me pede que vá ao Fundão encontrar com ela NAQUELE EXATO MOMENTO, e por mais que eu insistisse que estava sem a mínima condição ela começou a falar que tinha que ser naquela hora e bla bla bla...e lá fui eu, de havaianas, short jeans e camiseta véia para o Fundão, já cuspindo fogo pelas ventas. 40 minutos parada no ponto de ônibus com sol na cabeça, o ônibus passa e não para, mando o motorista tomar no meio do centro do olho....e continuo parada igual a uma palhaça NO SOL, depois de mais de 1 hora eu consigo pegar o ônibus e me embrenho pra Ilha, que é pertinho, mas contra-mão pra ir de ônibus, fui entreguei os exames e voltei pra casa, mas não tinha como vir direto, já que o 910 só passa do outro lado do hospital e pra pegá-lo eu teria de passar por dentro, mas sem meu RG (que estava em casa, já que eu havia ido ali na casa da minha vó) eu não poderia entrar no hospital, então eu precisei pegar um ônibus pro centro da Ilha e de lá pegar o 910 pra casa. O maldito ônibus só passa a cada 30 minutos e assim que subi a passarela pra ir até o ponto eu o vi apontando na esquina...e lá fui eu, correndo feito uma louca de baixo do sol de 35ºC pra conseguir pegar o ônibus. Consegui! Entrei no ônibus com o pulmão pegando fogo, suada, e vestida feito uma mendiguinha...e cuspindo fogo!!!!!
Sabe quantas vezes minha tia me perguntou como eu estava depois da perda do Igor? Nenhuma!
Quantas vezes ela me abraçou desde que chegou ao Brasil? Nenhuma!
Quantos presentes ela trouxe pra mim? Nenhum
Só o que ela fez foi me pedir favor, me criticar (meu cabelo tá feio, eu fui burra de largar a faculdade de Turismo, eu estou perdendo tempo fazendo Psicologia, eu tô gorda...) e dizer que eu tenho que ir embora com ela pros Estados Unidos e arrumar um marido americano.
E então ontem depois de sair de casas ao meio dia pra ficar com a minha vó e chegar em casa quase as 7h depois de voltar da Ilha do Governador eu cheguei a conclusão que já deu de ser boazinha...já deu de pensar nos outros antes de mim...Deu MESMO!!!!
E pra completar por ter reclamado do que me fizeram passar ainda ganhei fama de imprestável....Ma oe....mereço ou não o troféu de babaca do ano?
Enfim...
That's All Folks
(Volto ainda essa semana pra postar o selinho que a Carla me deu, prometo)

Um comentário:

  1. Nossaaa jovem, que zica da malásiaaa, até eu fiquei com raiva!

    ResponderExcluir