Páginas

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O pecado é de quem?

Estava agora a pouco lendo um guest post no Escreva Lola Escreva e moça comentou sobre um dia ter tomado uma bronca do pastor por usar saia acima do joelho, pois alguns homens poderiam a olhar de forma maliciosa e automaticamente lembrei de um causo.

Rio de Janeiro, 21 Janeiro de 2007

Na época eu tinha 18 anos, estava a poucos dias de completar 19  e estava "fazendo crisma" (o termo certo não é esse, mas todos os dias tento me livrar um pouquinho do catolicismo a mim imposto). Os encontros de catequese eram as 16h de domingo. Eu acordava cedo e ia a missa das 7h, porque ainda não estava muito calor e passava o dia em casa, as 15:30h eu voltava para igreja para o encontro, onde ficava até as 18h e de lá vinha direto pra casa. 
Naquele domingo específico, 3 dias antes do meu 19º aniversário fazia uma calor que beirava o insuportável e eu coloquei uma saia jeans no meio da coxa, uma ribana cor de rosa e uma sandália de dedo dessas de plástico com salto plataforma. Assim que cheguei na igreja recebi da catequista, uma senhorinha que tinha uma personalidade próxima a da Perpetua de Tieta um olhar bem feio como se eu estivesse nua ou sei lá, usando uma camiseta com frases satanistas.

Durante o encontro, que por uma baita sacanagem do destino era sobre pecado, ela começou a falar sobre "pecados involuntários"...maoe? Então ela soltou a pérola: "Por exemplo, hoje a nossa amiguinha *aponta pra mim* decidiu vir com uma roupinha que mostra tudo e no caminho pra cá passou por alguns bares onde homens casados estavam e com o corpinho dela de menina novinha os levou a ter pensamentos impuros, ou seja, ela os levou a pecar então é ela quem está pecando."


Eu juro que ela disse isso!!!! Naquele dia voltei pra casa cheia de raiva..... como assim se um homem casado olha pra mim e pensa besteiras o pecado é meu? Como assim? Partindo desse raciocínio se uma mulher é estuprada enquanto usa uma roupa mais curta e/ou decotada o cara não fez nada de errado e a culpa foi dela.
Nessa época eu ainda buscava um sentindo pra minha vida dentro da igreja, então aposentei as sais curtas e as roupas decotadas, afinal não podia ser a causa do pecado do outro, apesar de discordar com aquilo é muito complicado tentar mudar as regras de uma religião de mais de 2 mil anos, ainda mais quando se trata de uma religião que te induz a culpa...
Hoje comecei a pensar bem nisso, e vi o quanto o machismo nos é imposto como verdade absoluta....
Porque olha, se passa um homem bonito, eu olho também, mesmo sendo "casada", mas daí a pensar em pornografias com o cara aí já é outra história...eu não faço isso, minha mente tem noção de que eu tenho alguém em casa para fazer pornografias. Um homem olhar uma mulher passando de roupa curta, é normal, um homem pensar besteira com essa mulher é erro dele e o pecado tem de ser dele. Quem criou essa regra de que o pecado é da mulher? Por que o pecado tem de ser da mulher?
Essas verdades incostestáveis foram uma das coisas que me afastaram do catolicismo....um dia quem sabe, se eu estiver cara a cara com o Criador (o que de acordo com o catolicismo, não acontece nunca) eu pergunto a ele. Até lá, minha religião será Deus (não o Deus cristão e sim a força maior que nos guia) e nada mais. Dogmas e tudo mais, não cabem dentro do meu campo de pensamento....

O post foi só pra por pra fora o que ficou ecoando em minha mente depois de ler na Lola, a história da moça.
That's All Folks

Nenhum comentário:

Postar um comentário