Páginas

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Fechando ciclos

"Estou em segurança.
Nada em minha vida acontece sem que esteja de acordo com a perfeita ordem divina.
Inspiro confiança e expiro tranquilidade, direcionando amorosidade para que minha mente não se apresse em julgar o bom e o ruim.
Às vezes a maior desgraça se transforma na maior das bênçãos, se eu me abrir para a vida e para o que vem dela.
Eu sou importante para o Todo, que não seria o Todo se eu não estivesse aqui. 
Existe muito amor aqui para todos nós." 


Não sei como anda a rede social do Zuckerberg, mas no Twitter, o que tem de gente reclamando que 2015 foi um ano ruim...
Eu, honestamente, não tenho do que reclamar. Houveram coisas ruim, mas teve tanta coisa boa também.
Eu reli a saga Harry Potter, meu pai não precisou operar para drenar o pulmão pois o pulmão dele secou sozinho, eu gerei vida, eu passei 9 meses sem Facebook (e pretendo passar mais), eu engatei uma jornada de auto conhecimento. Eu comecei o ano com depressão e termino com o coração cheio de gratidão. 

Obrigada 2015, você foi do caralho!!!!
E 2016, pode vir...você vai bagunçar a minha vida que eu sei, vai vir trazendo um filho novo e um montão de mudanças, pega leve comigo e eu serei leve contigo!!!

Feliz Ano Novo!!!
Obrigada, Ano Velho!!!!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (22/30)

22- Will & Will - John Green e David Levithan

E com esse fica faltando só O Teorema de Katherine para que eu tenha lido todos os livros do Jhon Green. Fácil, leve, gostoso, agradável e sem final óbvio. Ouso dizer que foi o meu favorito do Green.
 

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Bom dia

Acordei com uma energia tão boa, um astral tão pra cima!!!!
Paz interior, alegria...e me deparei com uma linda sexta-feira de sol!
Acho que é essa a vibe que necessito estar todos os dias e hoje, depois de um dia caídinho ontem, ela veio me encontrar.



Então...vamos lá!
Ressignificar nossa visão dos problemas, nosso dia, nossa semana, nosso 2015....

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Mais Pensamentos e Devaneios e Vídeos

Eu quero criar um canal no youtube, não tenho a intenção de fazer a fortuna que faz a Kéfera, por exemplo, só quero poder falar algumas coisas. Não só textos "motivacionais" na base do life coach, mas compartilhar coisas sobre maternidade e maternagem.
Eu tenho, confesso, um pouco de medo de me expor assim, cara limpa, peito aberto, mas "até onde eu iria se eu não tivesse medo?". Daí essa noite eu sonhei com meu canal!!!! Eu tinha 3 ~programas~, um sobre life coach, um sobre maternidade e um pra falar a vontade, e hoje acordei determinada a agir.
Não que eu não estivesse agindo até agora, mas eram ações muito abstratas tipo pesquisar preço de câmera, microfone, como se esperasse estar tudo perfeito para começar. Balela, sabe? Então hoje eu decide fazer um vídeo com o que eu tinha e ver no que dá....
Senhoras e Senhoritas, com vocês:

 Defeitos - Pensamentos e Devaneios em Vídeo


 

domingo, 6 de dezembro de 2015

Ilusões do Ego

Ontem eu tive um dia maravilhoso, em um lugar maravilhoso. Curumim estava radiante de felicidade, poderia ter sido o dia perfeito.
E foi, não fosse essa vozinha enjoada na minha cabeça não me deixando esquecer uma coisa ruim que aconteceu antes das 8 da manhã.
Eu fiquei magoada, aborrecida, respondi e chorei um tempinho, mas como diz a musa Flávia Melissa "Incomodou, doeu? Leva pra casa que é teu.". Adicionando o texto de 2010, Um Curso Em Milagres e as 9 dicas do André nessa mistura quero calar essa vozinha enjoada com atitude! Quero vencer essa mágoa, quero conseguir não ser mais afetada.
Mil vezes gratidão ao Universo por me permitir enxergar que também tenho culpa e que basta somente minhas escolhas pra encerrar esse ciclo.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Gratidão ao Universo

Hoje arrumando meus cadernos antigos que estavam na casa da minha mãe achei um texto de 19/03/10, seis meses antes de eu começar a terapia:

E cá estou, de volta a estaca zero. Sentada na biblioteca, sozinha em horário de aula.  Me sinto bem em bibliotecas porque aqui o silêncio é obrigatório, então não fica estranho que eu não tenha ninguém por perto, não é estranho que ninguém converse comigo. Nós brigamos de novo, parece que esses conflitos agora são parte da nossa rotina. Como eu posso lidar com eles: Me calando! Mas quem disse que eu consigo? Ela não se cala, nem sob tortura e eu embarco na dela e me estresso e me aborreço mas não posso. Afinal o mundo tá aí fora me esperando, esperando meu sorriso, minha felicidade, minha vitória. E eu vou chegar ao fim com o maior sorriso visto pela humanidade, com uma vitória linda. Ninguém nesse mundo pode me impedir de ser vitoriosa, porque essa é a vontade de Deus!



Passaram cinco anos e tem coisas que não mudaram, eu continuo dando murro em ponta de faca. Mas esse texto veio de forma providencial hoje. Depois de ler um trechinho do UCEM, de ler o livro 9 Dicas Para Aumentar Sua Paz Interior do André do André Lima e ficar pensando em como trabalhar o perdão, o meu perdão. Como deixar essa mágoa toda pra lá? Como ser um ser humano melhor?
E aí eu achei esse texto, não me lembro bem do dia em que ele foi escrito, mas pelas datas veja que tinha começado a faculdade de psicologia há pouco mais de um mês, tinha tido uma briga feia com a minha mãe, ido pra faculdade, mas ao invés de ir pra aula tinha ficado na biblioteca, que desde a faculdade de turismo era meu refúgio por ser silencioso, onde eu podia escrever e ficar sozinha em paz.
O propósito de ser feliz continua aqui! E esse texto serviu pra me mostrar que eu perdi quase seis anos de paz interior remoendo essa mágoa.
Que essa mágoa vire aprendizado!!!
Amém!!!
Gratidão ao Universo por me dar esse lembrete.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

"Nisso está a paz de Deus."

Estou aproveitando as "férias" para ler Um Curso Em Milagres e toda vez que eu tiver um insight ou achar uma passagem interessante vou postar aqui.

Se estamos usando a percepção para justificar nossos próprios erros - nossa raiva, nossos impulsos para atacar, nossa falta de amor em todas as formas que pode ter - veremos um mundo de amor em todas as formas que pode ter - veremos um mundo de maldade, destruição, malícia, inveja e desespero. Tudo isso nós precisamos aprender a perdoar, não porque estamos sendo “bons” e “caridosos’, mas porque o que estamos vendo não é verdadeiro. Nós distorcemos o mundo pelas nossas defesas tortuosas e estamos consequentemente vendo o que não existe.
(Um Curso em Milagres, Prefácio, pág 4)

 E aí, obviamente lembrei do post do que eu quero versus o que eu busco, onde eu disse mais ou menos isso. Mas como é difícil esse lance de perdoar, hein...
Deus me ajude!!!
Espero terminar o curso um ser mais iluminado....

domingo, 15 de novembro de 2015

Eu escolho o perdão

No mundo há amor o suficiente para todos nós, eu acredito nisso. E é por isso que faz algum tempo que não "mendigo" a afeição de ninguém. Tem muito amor espalhado por aí pra mim e é esse amor que eu quero, aquele que é puro, sincero e despretensioso.
Eu fiz na minha vida a escolha de viver pelo e para o amor, não que isso seja fácil, tranquilo e que instantaneamente eu tenha me tornado uma hippie de saia longa e pé no chão (mas bem que eu queria, viu?), o que acontece é que agora sempre que bate a tristeza, a raiva, a mágoa eu concentro minhas energias em escolher o amor e o perdão.
E como é difícil essa escolha, como é mais fácil murmurar e lamentar e reclamar. Desde sexta-feira tenho escolhido o perdão 20 vezes ao dia, sempre que lembro o que me magoou e quem me magoou, respiro fundo e escolho o perdão, e me concentro em minhas obrigações.
E que Deus me ajude a sempre escolher perdoar e que não falte amor, nem a mim e nem a eles, nem hoje, nem nunca!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Onde eu vou? Onde eu estou?

Meus últimos posts tem sido bilhetes....tenho condensado tudo que penso e sinto em meia dúzias de palavras que nem fazem tanto sentido assim.
Estou perdida na minha caminhada, aliás, estou perdida na vida.
Para onde eu vou? Como eu vou chegar lá?
E a resposta que me vem é "estude", e lá vou eu iniciar uma nova roda de estudos, pra me aprofundar em onde eu estou e porque estou aqui, antes de saber para aonde seguir....
E lá vou eu...

domingo, 8 de novembro de 2015

Como pode?

Eu fico aqui vagando entre meus pensamentos, meus desejos e anseios, fico aqui perambulando entre meus medos e minhas paixões, entre a vergonha dos meus defeitos e as qualidade que queria ter.
E nesse confusão de coisas, sensações e sentidos vez ou outra me pego pensando "Como o que é pode?", como pode existir alguém assim, como é possível...
Existem motivos? Mas não deu tempo de curar? Ou o que não deu foi vontade?
É mais fácil fazer a vida dos outros um inferno do que tentar levar sua vida ao paraíso?
Não sei...não sei mesmo, e insisto em me perguntar: "Como pode?"

sábado, 7 de novembro de 2015

94 coisas em 365 dias

Faltam 365 dias para acabarem os meus 1001 dias e só fiz 7 coisas....
Que vergonha...que vergonha.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Espera que o sol já vem...

Tem gente que está 
Do mesmo lado que você 
Mas deveria estar do lado de lá 
Tem gente que machuca os outros 
Tem gente que não sabe amar

Tem gente enganando a gente 
Veja nossa vida como está 
Mas eu sei que um dia 
A gente aprende 

Se você quiser alguém
 Em quem confiar 
Confie em si mesmo 

 Quem acredita 
Sempre alcança


terça-feira, 3 de novembro de 2015

Eu escolhi calar

Talvez esse título esteja errado, aliás esse título está errado, eu não calei ainda, mas vou calar.
Tenho pedido, arrogante, a Deus que me livre do mal e dos maus, mas e quando o mal é meu e a má sou eu?
Vou escolher o silêncio quando eu não puder somar.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Tem um textão no meu ENEM

E o tema da redação do ENEM foi "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira", e o twitter quase explodiu, de um lado muita gente feliz com o tema e do outro a galera que achava um absurdo esse tema.
Eu adoraria ter ficado no time da galera que ficou radiante, teria sido maravilhoso acreditar, mesmo que por 10 segundos, que essa redação faria machistinhas pensarem um pouquinho que fosse no tema.
Mas não rolou. Basta você dar uma olhada nos comentários da galera que ao invés de pensar, argumentar, raciocinar foi lá dizer que ~homem também sofre violência doméstica~.

domingo, 18 de outubro de 2015

Tudo Ao Mesmo Tempo...Agora!

A vida, meus amores, ela não espera. Ela não espera você acabar de ver aquele filme, ou você dormir mais 5 minutinhos, a vida, ela acontece.
Acontece de eu passar quase que um mês me sentindo culpada por não estar triste, me sentindo mal por estar radiante de felicidade graças ao Ravi, acontece de eu sonhar nas duas noites antes com coisas que me lembrem do que aconteceu e entender que, apesar das coisas estarem bem aqui fora lá dentro tá tudo recalcado ainda e ainda dói. Acontece de no dia eu acordar as 3:30h e dar risada com a ironia, acontece da minha pressão estar 8x6 e eu precisar ficar do lado fora de casa para que a brisa do fim da tarde/início da noite me ajude.
Acontece de eu estar procrastinando os textos do PEM, acontece de marido ter desinstalado o Ilustrator e eu não ter ideia de como vou fazer meu gráfico agora.
Acontece!!! A vida é assim ela acontece.
E acontece de não pararem de acontecer coisas que levam a outras coisas e me tiram da rota e aumentam o meu caminho e ufa!!!
Para!!!
Respira!!!
Observa!!!
A vida acontece aqui pra mim e ali para o outro e enquanto tudo acontece ao mesmo tempo, cabe a mim retraçar minha rota e seguir em frente, porque enquanto eu respirar a vida acontece.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Algumas virtudes são conquistadas com perseverança, outras com cicatrizes!
Eu estou num misto de perseverança e cabeçada (que gerará galos e cicatrizes) para conquistar o hábito de aceitar que todas as pessoas são diferentes, ninguém é de todo bom e nem de todo mau. Acho muito difícil esse exercício de conhecer cada pessoa que passa por nossa vida, entender os defeitos, admirar as qualidades e não anular um pelos outros.
Não estou falando aqui de empatia, de colocar-se no lugar do outro e sim de interagir com o outro dentro daquilo que a pessoa o é.  Todo mundo é feito de defeito e qualidade, ninguém é perfeito...
E eu vou por aqui, dando cabeçada pra entender que e aceitar que ninguém é só defeitos, e mais que os defeitos não apagam as qualidades...

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (21/30)

21. Animais Fantásticos e Onde Habitam - Newt Scamander


Na verdade ele foi o 20, mas eu tinha esquecido até encontrá-lo hoje de manhã. Paguei R$16 na Bienal, mas se pagasse R$12 ainda estava caro. O livro é bem fininho e curto quero ver como é que vão transformar num filme, vale a nível coleção, mas não mais que isso. 

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O que quero x O que eu busco

Imagina que você compra sementes de margaridas e planta no seu quintal, aduba, rega, cuida e depois fica na ansiedade por desejar muito um jardim cheio de rosas. 
Ou que você planta um caroço de manga e depois fica esperando as goiabas nascerem porque adora goiaba recém colida.
Ou talvez você compre uma garrafa de guaraná e coloque na geladeira para na hora do almoço beber um copo de coca cola beeem gelada.
A não ser que você tenha alguma problema cognitivo você não fazer nada disso, certo? Então porque no nosso cotidiano é isso que a gente faz o tempo todo?
Você reclama que a cidade tá violenta, mas passa o inicio da sua noite toda assistindo pseudo jornalismo sangrento? Plantou margarida esperando colher rosa!
O que você procura tem que estar de acordo com o que você quer achar, não tem como encontrar felicidade procurando tristeza, encontrar amor se segue procurando por ódio.
Veja a pessoa ranzinza, mal humorada, sempre reclamando, evitando sorrir e sei que passa horas assistindo esses programas que não compartilham meia notícia boa e entendo o porque. Não dá pra ser feliz assim, se alimentando da tragédia alheia, não tem como...
Eu quero boas notícias, quero dar risada, que suspirar de encantamento...eu quero felicidade, que busco felicidade, eu me cerco de felicidade.


101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (20/30)

20 - Quem é você Alasca?


 John Green é fã de Harry Potter, John Green tem um tumblr, John Green é o mestre de escrever livros sem final feliz óbvio!!!! O livro é separado em "antes" e "depois" e você nunca sabe do que se trata até o último dia antes, quando fica meio óbvio o que vai acontecer (mas nem tanto, já que desde o começo eu pensava que era uma coisa e até a metade do último dia antes eu ainda tinha essa opinião).

"Você está mesmo brincando, Perce...acho que não o vejo brincar desde que era..." Últimas palavras de Fred Weasley



sábado, 26 de setembro de 2015

Insonia

Sozinhas aqui, a neblina e eu.
Observo o céu acinzentado por ela e ouço o silêncio absoluto rompido vez ou outra por um carro que passa, um cachorro que se coça ou um suspiro que escapa.
Estou pensando em tudo e em nada, minha cabeça a mil por hora tenta assimilar o que fazer e como agir, faculdade, filho e tá na hora de voltar ao mercado de trabalho, mas e os plantões obrigatórios? Como eu faço? Pra onde vou?
Em meio ao silêncio eu me perco em mim mesma, fico pensando em como mudei de opiniões nos últimos anos, e sou grata por isso. O que seria da minha evolução se permanecesse igual pra sempre? Que bom que mudei, que bom que agora enxergo coisas que antes não via. Daí bate a vontade de pedir perdão pra pessoas que julguei, e peço, em oração. 
E passa um ônibus, e lembro da colega que há um ano atrás veio aqui em casa, "me visitar" e depois disso sempre que passa por mim finge não me conhecer e fico pensando "vieram pra que?', lembro da outra que conversava com a mãe no portão e quando me viram virar a rua entrou correndo e a pergunta se repete "vieram pra que?". Foi pra me ver? Pra fofocar? Tiveram pena por que eu tinha perdido um bebê ou vieram assegurar que eu não estava louca pra contar por aí? Eu cheguei a acreditar que elas tinham sentido minha falta, como eu já senti delas, mas passou...hoje eu sei que seja lá qual foi o motivo não foi nobre.
Falta muito pro sol nascer? Tem mais ônibus passando e um passarinho cantando.
Volto a pensar na faculdade, no tanto que caminhei pra chegar até aqui, penso em desistir, em insistir, em persistir.
Talvez eu devesse ir na casa da minha mãe e pegar camomila pra fazer chá.
Ainda está escuro, tem estrelas no céu. As árvores estão paradas,  não tem vento então.
Minha barriga dói num misto de fome e cólica. Quero ficar logo menstruada pra não ter que lidar com o Chico e a roupa branquinha do plantão de segunda. Tomara que não demore...
O passarinho parou e ainda tá escuro.
Acho que vou ler...ler sempre me deixa sonolenta.
Boa noite, então ou bom dia!

Updates: *Já são 5 da manhã e o sol ainda não deu as caras, mas os passarinhos estão com a corda toda.
 *Azamiga não vieram aqui ano passado, vieram em outubro de 2013.
*Alguém já leu o post e o sol ainda não nasceu.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Gente de bem

Eu tenho pra mim que gente de bem não precisa ficar por aí anunciando que o é. Sabe?
Quando a pessoa fica alardeando que é "do bem", " sincera", "justa" tenho pra mim que é pra causar uma boa impressão e dar aquela inflada no ego.
Tenho obersrvado muito isso acontecer...gente de bem o é e pronto, sem alardes, sem plaquinhas, sem anúncios de sua bondade...

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Pensamentos e Devaneios em Vídeo



Sem maquiagem, de coque no cabelo e com o áudio levemente zoado...um post em vídeo.

sábado, 19 de setembro de 2015

"Cada um dá aquilo que tem"

"O Rouxinol e a Rosa

Era uma vez, um Rouxinol que vivia em um jardim.

No jardim havia uma casa, cuja janela se abria todas as manhãs.

Na janela, um jovem, comia pão, olhando as belezas do jardim. Sempre deixava cair farelos de pão, sobre a janela.

O Rouxinol, comia os farelos,acreditando que o jovem os deixava de propósito para ele.

Assim criou um grande afeto, pelo jovem que se importava em alimentá-lo, mesmo com migalhas.

O jovem um dia se apaixonou.

Ao se declarar a sua amada, ela disse que só aceitaria seu amor, se como prova, ele desse a ela, na manhã seguinte, uma Rosa vermelha. O jovem, percorreu todas as floriculturas da cidade, sua busca foi em vão, não encontrou nenhuma Rosa para ofertar a sua amada. Triste, desolado, o jovem foi falar com o jardineiro da casa onde vivia. O jardineiro explicou a ele, que poderia presenteá-la com Petúnias, Violetas, Cravos, menos Rosas. Elas estavam fora de época, era impossível consegui-las, naquela estação.

O Rouxinol, que escutara a conversa, ficou penalizado pela desolação do jovem, teria que fazer algo para ajudar seu amigo, a conseguir a flor.

Assim, a ave procurou o Deus dos pássaros que assim falou:

- Na verdade, você pode conseguir uma Rosa Vermelha para teu amigo, mas o sacrifício é grande, e pode custar-lhe a vida!
- Não importa respondeu a ave. O que devo fazer?
- Bem, você terá que se emaranhar em uma roseira, e ali cantar a noite toda, sem parar, o esforço é muito grande, seu peito pode não agüentar.
- Assim farei, respondeu a ave, é para a felicidade de um amigo!

Quando escureceu, o Rouxinol, se emaranhou em meio a uma roseira, que ficava frente a janela do jovem. Ali, se pôs a cantar, seu canto mais alegre, precisava caprichar na formação da flor. Um grande espinho, começou a entrar no peito do Rouxinol, quanto mais ele cantava, mais o espinho entrava em seu peito. O rouxinol não parou, continuou seu canto, pela felicidade de um amigo, um canto que simbolizava gratidão, amizade. Um canto de doação, mesmo que fosse da própria vida!

Do peito da pobre ave, começou a escorrer sangue, que foi se acumulando sobre o galho da roseira, mas ela não se deteve nem se entristeceu. Pela manhã, ao abrir a janela, o jovem se deteve diante da mais linda Rosa vermelha, formada pelo sangue da ave, nem questionou o milagre, apenas colheu a Rosa. Ao olhar o corpo inerte da pobre ave, o jovem disse:

- Que ave estúpida! Tendo tantas árvores para cantar, foi se enfiar justamente em meio a roseira que tem espinhos, pelo menos agora dormirei melhor, sem ter que escutar seu canto chato.

Moral da história:

Cada um, dá o que tem no coração, assim como, cada um recebe com o coração que tem..... "


Eu tenho sentido que uma pessoa, que era muito próxima de mim, se afastou e tem me tratado com animosidade, eu já perguntei se algo havia acontecido e a resposta foi "que nada!" e então, eu vou dar aquilo que tenho a oferecer, e deixar que ela me retribua como pode....

sábado, 5 de setembro de 2015

A luz acabou

A luz acabou, não só acabou como fez um barulhão antes e aí todas as luzes da minha casa piscaram (até as que estavam apegadas) 3 vezes e aí apagou. Só eu ouvi, nenhum movimento na casa dos meus pais ou da minha vó, eu queria ir no portão, mas tá frio e eu preferi ficar, entrei no twitter e mandei DM pra Light informando a falta de luz e agora não consigo dormir porque acordei assustada...
A luz acabou e agora vou me enroscar entre os meninos que dormem tranquilos e esperar o sono voltar...

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Old habbits die hard?!

E o exercício de detox de hábitos destrutivos segue firme e forte. 10 dias já foram sem twitter, instagram, snapchat ou qualquer joguinho e confesso,  está ficando mais fácil não pensar nessas coisas ou sentir falta.
Mas, embarcamos em uma nova leva de hábitos destrutivos, ou seja, uma porção de hábitos que me fazem procrastinar. Entre passear pelo pinterest e ler fanfics tem me sobrado pouco tempo pra fazer o que deveria ser feito, assim sendo percebi que o hábito destrutivo que eu precisava abrir mão seria a procrastinação. Agora como???
Quando eu começo a trabalhar ou estudar eu me envolvo de tal modo que não consigo parar, o problema é começar...

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Bom senso x Grosseria

Eu tenho a fama de ser grossa, porque não tenho paciência pra lidar com falta de bom senso.
Imagina que hoje, já tive que lidar com uma mesma pessoa agindo completamente fora dos padrões de intimidade aceitos por mim... Mas, se eu falar um "ai" aí eu sou grossa.
"Come um pão de queijo, um dia sem almoço não mata não."
"Por que você é tão ranzinza"
"Não liga pra ela, moça. Ela é chata assim mesmo."

Essas duas últimas porque eu não quis tirar uma foto. Essa mesma pessoa me chamou de neurótica porque eu quis ir pra casa ver meu filho ao invés de ficar de papo em um dia de falta de professor.

É por gente assim que eu me isolo e prefiro ser "invisível" a interagir com os coleguinhas.

O #mimimi está pra acabar!! Posts melhores virão

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Destrua esse diário

Assim que me formar vou apagar esse blog, apagar por completo...cada história e cada post e começar de novo sob um pseudônimo...
Já pensou os pacientes descobrindo que eu sou um ser humano normal? Não pode...preciso me colocar acima da humanidade, né? Pra manter aquela imagem de intocável, de que consigo usar a psicologia pra resolver sozinha todas as minhas crises.
Imagina se alguém descobre que eu tenho tantas neuras quanto qualquer pessoa e que sou um ser humano bem frágil também. Se alguém souber que eu me sinto sozinha mais vezes por dia que gosto de assumir e que as vezes só quero alguém pra papear amenidades.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O Bode


Há alguns meses eu deletei o facebook por motivo de estar de saco cheio da intolerância que habitava aquela rede social. As pessoas andavam atacando gente desconhecida por qualquer motivo, bastava pensar diferente que pronto...partiu ataques pessoais e pesados. Você entra numa página pró Dilma e lá nos comentários tem gente anti Dilma xingando todo mundo de burro e coisas mais pesadas e ofensivas, você entra na página do Silas Malafaia e tem lá gente xingando o cara de tudo que é nome também, e assim eu decidi que era melhor me isolar. Veja bem, nada contra você ser contra a Dilma ou achar o Malafaia um babaca machista e homofóbico do caralho (eu acho também, inclusive), mas entrar em páginas a favor dessas coisas para criticar é o equivalente a entrar em show do Iron Maiden  xingar pessoas aleatória e dizer que bom mesmo é João Gilberto.
O problema é que meu bode do Facebook anda crescendo absurdamente e se expandindo para toda a internet. Todinha!
A revista época postou uma matéria onde dizia que a Dilma tinha que se erotizar. Mano!!! A véia tem 67 anos pra começo de conversa, some isso ao fato de uma revista de grande porte ainda declarar que o problema da crise e a presidente da república não andar por aí de decote e falando em piroca, sério?!?
O site da Uol fez uma matéria esquisita sobre cosplay e colocou duas psicólogas com mais de 50 anos para explicarem as crises de identidade que supostamente o cosplay causa e nos comentários, obviamente sobravam críticas a idade das duas ou sobre como psicólogos inventam distúrbios para conseguires clientes, porque parar para pensar por 14 nanosegundos e ver que as profissionais foram tão enganadas quanto os cosplayers que deram entrevista é difícil, muito mais fácil é xingar as duas.
Aí eu parei pra pensar que pô, de repente não é a internet que está me dado bode, são os humanos...a internet só serve de instrumento para essa galera ser assim sem o risco de um soco na cara.

sábado, 22 de agosto de 2015

Abstinência

O detox de hábitos destrutivos não é de 10 dias, são 21...faltam 17.
Ando sentindo falta do twitter e do snap...
Não sei se vou aguentar esse tempo todo, não sei se vou conseguir trocar esses hábitos por hábitos produtivos.
Sei que estou entediada...

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Because of you



I will not make
The same mistakes that you did
I will not let myself
Cause my heart so much misery



 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Detox, cursos e posts não escritos

Começo o post convidando você a se juntar a mim no curso de auto conhecimento 0800 que o pessoal da Etre tá dando. O curso é toda terça 20:30h, on line e você assistir pelo Periscope @etredh ou se cadastrar no site e acompanhar pelo hangout.
Enfim...
Semana passada eles pediram para abandonarmos 10 hábitos por 10 dias, e só hoje escolhi:
-The Sims
-Snapchat
-Pet Rescue Saga
-Clickjogos
-Twitter
-Instagram
-Bejeweled
-Chocolate

Ai gente vai ser difícil, hein. Desde 2009, nunca fiquei mais de 2 dias sem dar uma espiadinha no twitter, pós smartphones então...vish. O The Sims eu ia colocar só o 4, mas me conheço e ia acabar jogando um dos outros 3 (tenho os 4 instalados no notebook), o clickjogos veio porque como ia ficar sem meus joguinhos eu ia acabar jogando papa freezeria o tempo todo ou o Royal Baby Shop, ou qualquer outro joguinho de administrar. O whatsapp não pode entrar nessa lista porque é minha forma primária de comunicação com 90% das pessoas, tem grupo da faculdade, enfim não ia rolar.
O tempo que eu vou ganhar sem joguinhos vou usar pra ler e escrever alguns posts que estou devendo lá no outro. Veremos se aguento 10 dias sem os 8 hábitos escolhidos.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Discutindo com a TV

Eu não tenho o hábito de ver novelas, não curto o lance de esperar 9 meses para uma conclusão que geralmene será a mais óbvia, enfim...não me agrada, mas outro dia estava na casa da minha mãe e acabei assistindo um episódio da novela Caminho das Índias e uma cena me chamou a atenção. O personagem do Alexandre Borges pediu que a personagem da Letícia Sabatella conversasse com sua esposa (Débora Bloch) sobre ele não querer conversar porque estava cheio de problemas, pedir que ela deixasse ele em silêncio com os seus pensamento. A personagem da Sabatella foi até a da Débora Bloch e mandou ela puxar bastante assunto, contar piada, fazer fofoca. O casamento vai acabar e o Alexandre Borges vai ficar, obviamente com a Sabatella (até ela se revelar uma doida psicopata que só quer ver todo mundo infeliz), e eu fiquei pensando que se eles fossem casal que usasse da comunicação nada disso aconteceria. O cara podia chegar pra esposa e dizer "Olha, estou passando por uma fase difícil, me dá um espacinho até minha mente clarear, quando eu estiver no escritório me deixa quietinho".Mas, isso não ia render, né? Família feliz em novela não vende, tem que ter crise...
Daí hoje minha mãe ligou a tv da área de lazer e daqui da mesa do pc eu fiquei de frente, estava passando Noivas Em Guerra, a história de duas super  amigas que marcam o casamento para o mesmo dia e aí automaticamente deixam de ser amigas, se ofendem, se agridem e se sabotam o tempo inteiro. Mano!!! Eram as melhores amigas do universo inteiro e aí passam a trocar ofensas pessoais porque o casamento é no mesmo dia? Sério? Então não eram tão amigas assim, né? Se tinham tanta coisa ruim guardadas dentro de si a ponto de explodir por um motivinho tão bobo.



sexta-feira, 31 de julho de 2015

Não sou obrigada...

Você sabe o que significa inteligência emocional?
Se você já sabe, fica quietinha aí que a tia vai explicar pra quem não sabe!

Inteligência emocional é um conceito em Psicologia que descreve a capacidade de reconhecer os próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles.
Ou seja, inteligência emocional é conhecer sua capacidade de lidar com os seus sentimentos e o dos outros.
Uma pessoa emocionalmente inteligente, por exemplo, não fica por aí mendigado atenção de gente que não tá ligando, gente emocionalmente inteligente não precisa ser afogada em elogios pra sentir-se melhor e gente emocionalmente inteligente tá cagando pra aprovação alheia!!!!!
 Falemos de mim, agora porque afinal esse blog é meu...
Eu não sou obrigada!!! Eu sei quem eu sou, sei pra onde vou (as vezes não sei como vou chegar lá, mas segue o fluxo), conheço meus defeitos e não tenho grandes problemas em pedir desculpas quando eu erro. Outra coisa que eu sei, é que ninguém é obrigado a gostar de mim e eu não sou obrigada a gostar de ninguém.
É tão libertador esse pensamento, essa sensação!!!!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Larga essa toalha!!!!

As vezes dá uma vontade monstra de jogar a toalha, né?
Mandar tudo as favas e beijo, outro, tchau...
E aí, geralmente, a gente fica por aí arrastando a tolha tal qual um fantasma arrasta corrente e pensando "qualquer dia jogo essa toalha!!!"
Hoje eu estava assim, sem ânimo, sem vontade, sem disposição. Cheguei a dar 2 passinhos arrastando a toalha, mas aí larguei...não pretendo jogá-la, de verdade. Tenho muito caminho pra trilhar ainda, muita batalha pra lutar...
Peguei a toalha, enrolei no pescoço pra me ajudar a secar o suor e recomecei a andar!!!


Eu sei que o Linus arrasta um coberto, mas era só pra ilustrar minha metáfora.


terça-feira, 28 de julho de 2015

And I say hey...


E quem tira essa música da cabeça agora?
 O jeito é passar o dia cantando e esperando os outros 7 pra gente brincar de sing a long.


Twenty-five years and my life is still
Trying to get up that great big hill of hope
For a destination

I realized quickly when I knew I should
That the world was made up of this brotherhood of man
For whatever that means

And so I cry sometimes
When I'm lying in bed Just to get it all out
What's in my head
And I, I am feeling a little peculiar.

And so I wake in the morning
And I step outside
And I take a deep breath and I get real high
And I scream at the top of my lungs
What's going on?

And I say: Hey! yeah yeaaah, Hey yeah yea
I said hey, what's going on?

And I say: Hey! yeah yeaaah, Hey yeah yea
I said hey, what's going on?

ooh, ooh ooh

and I try, oh my god do I try
I try all the time, in these institution

And I pray, oh my god do I pray
I pray every single day
For a revolution.

And so I cry sometimes
When I'm lying bed
Just to get it all out
What's in my head
And I, I am feeling a little peculiar

And so I wake in the morning
And I step outside
And I take a deep breath and I get real high
And I scream at the top of my lungs
What's going on?

And I say, hey hey hey hey
I said hey, what's going on?

Twenty-five years and my life is still
Trying to get up that great big hill of hope
for a destination

domingo, 19 de julho de 2015

Perdão

Eu poderia começar essa postagem dizendo que eu não trabalho como porteira, ou que ligar pra avisar que está no portão é um procedimento comum de técnicos de telefonia. Eu poderia, mesmo...
Mas eu não, não...
Eu vou pedir perdão! Perdão por não ter estado atenta a quem chamava no portão, perdão por não ter ido correndo atender, perdão por estar ocupada cantando e dançando feito uma boba com a minha família. Perdão! Aliás, peço perdão pela minha mãe também, que se considerou ocupada de mais com as vendas dela e não prestou atenção em quem chamava no portão.
De coração...
Veja bem, haviam três pessoas adultas mais dois adolescentes na sua casa, vocês é quem estavam esperando o técnico, não era eu, nem minha mãe, e nós não temos culpa se o telefone de contato era de uma pessoa que mora tão longe, mas se você se magoou tanto com a gente por isso, OK...perdão!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (19/30)

18.  As Crônicas de Gelo e Fogo - Guerra dos Tronos

Quase 2 meses lendo esse livro, por Deus!!! Assim, não gostei do lance de cada capítulo ser narrado por um personagem, ficou cansativo e no final eu fui lendo com raiva, só queria que acabasse logo.

19. Cidades de Papel





Eu li em pouco mais de 24 horas, fiquei meio frustrada com o final, mas gente que delícia de livro. O fato dos pais psicólogos do Q. serem dois fodidos de grana foi tão sincero e real que me apeguei. Virei fã do John Green e já quero ler "Quem é você, Alasca"

terça-feira, 14 de julho de 2015

A vida é dura, criança!!
Abdicar de certos hábitos é difícil e as vezes doloroso.
É fácil ver algumas pessoas falando em gratidão e achar que a vida deles é mamão com açúcar, mas aí a gente volta a frase inicial, a vida é dura!!!! Vão haver momentos em que agradecer é um desafio!!!!
Aceitar que o Universo é fantástico e perfeito e que nos fornece tudo que nós precisamos é punk e as vezes até dói!!!!!
Nesse momento sou uma lagarta no casulo, sendo trabalhada de dentro pra fora, aceitando que o Universo é perfeito e me fornece tudo que eu preciso no momento que eu preciso.
O processo é doloroso, mas há de valer a pena...

sábado, 4 de julho de 2015

...ruim é seu preconceito

A jornalista da Globo, Maria Júlia Coutinho foi vítima de injúria racial na última quinta, uma pessoa azeda com a vida criou um perfil fake e passou a xingá-la na página oficial do Jornal Nacional. Diversos jornalistas da emissora saíram em sua defesa, a hashtag #somostodosMaju virou trendtopics e muita gente condenou o infeliz (aqui, no sentido real da palavra), mas e aquele preconceitozinho velado? Esse pode?
"Ai, mas nem é preconceito é gosto."
Eu me entristeço, porque penso no meu filho...minha luta é para que sua auto imagem não se deforme pelos comentários racistas disfarçados de opinião, de gosto.
Minha torcida é para que as pessoas se conscientizem e percebam que cabelo assim ou assado não faz diferença e que a gente tem que se preocupar é com o caráter.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Um passo de cada vez...

Hoje eu coloquei no ar o Projeto Eu Melhor, por enquanto ele ainda está longe do que eu sonho que ele seja, mas não tenho pressa. "Não importa quão pequeno você começa, comece algo que importa."
Cada boletim semanal vai ser uma vitória minha, cada feedback, cada e-mail, cada visualização.
Hoje eu dei a luz a um sonho e divido eles com vocês porque sozinha eu posso chegar mais rápido, mas juntos vamos mais longe e cada desejo de que as coisas dêem certo chega em mim e no projeto e nos impulsiona.
Gratidão imensa aos que assinaram, aos que torcem e aos que desejam coisas boas. Que esse amor retorne a vocês em dobro!

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Corpo são, mente sã

Quando embarcamos numa jornada de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal algumas coisas se tornam naturais. Foi assim que comecei a meditar, um dia eu simplesmente senti vontade e fiz. Todos os dias medito de 5 a 10 minutos. Fico sentada em silêncio, concentrada apenas na minha respiração, deixando os pensamentos, medos, inseguranças, dúvidas e preocupações se calarem e só minha respiração me importa.
É ali, na meditação que compreendo muita coisa e que deixo de me importar com tantas outras.
E da forma natural que veio o desejo de meditar, veio o desejo de me exercitar. Não o desejo de alcançar um corpo de revista ou nada do tipo, mas o desejo de me exercitar todos os dias pra me manter viva e ativa, pra quem sabe um dia conseguir correr a São Silvestre (um sonho de infância) e pra não colocar minha saúde em risco. E assim passei a caminhar uma hora por dia.
E de novo, de forma natural veio o desejo de exercitar a mente e com isso faço exercícios de lógica todos os dias, primeiro Torre de Hanói e depois resolvo algum problema do Racha-Cuca.
Corpo, mente e espírito são exercitados todos os dias, de forma natural e espontânea. Sem crise...

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Pensando fora da caixa

Semana nova...que tal uma renovação?
Comece a pensar fora da caixa, "quem está dentro da garrafa não consegue ler o rótulo".
Seus gostos, crenças e verdades são a sua realidade, apenas sua...talvez do lado de fora existam verdades, gostos e crenças que te agradem até mais. Não existe uma verdade absoluta, existem verdades, apenas.
Pense fora da caixa!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Lição do dia

Eu gosto de ajudar as pessoas, é uma coisa que gosto... Mas ainda não me acostumei com ingratidão.
Nem sei se vou conseguir me acostumar.
Não é que eu ajude esperando ganhar uma estátua em praça pública, mas total desconsideração jamais será visto por mim como algo "normal" ou aceitável.
Sou grata por ter meios, saúde e disposição para ajudar quem me procura, mas ser bom não é ser bobo...

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Gratidão e aceitação

Hoje durante algo que pode ser chamado de festa percebi que aceitei a família que tem.
Não confundir aqui "aceitação" com conformismo ou resignação. O que aconteceu é que aceitei que é essa a família que tenho e fim. E sou grata por isso, muitos defeitos que me incomodam moldaram-me e me ensinaram a fazer/ser diferente.
Tenho ainda um longo percurso a seguir, aprender a identificar o que me tira o equilíbrio e ter controle sobre isso, por exemplo.. Mas, hoje, sei que a aceitação foi um importante passo na construção de relacionamentos melhores.

sábado, 20 de junho de 2015

Os caminhos que me levam...

Você não sabe o quanto eu caminhei 
Pra chegar até aqui

Quanto mais estudo para elaborar o Projeto Eu Melhor (aliás, dia 02 de julho tá chegando, já foi lá, já se inscreveu pra receber os boletins?) mais tenho pensado no caminho que fiz pra chegar aqui.  Relembrando e ressignificando algumas passagens da minha vida, por exemplo, percebi que muitas coisas sempre estiveram claras diante dos meus olhos e eu simplesmente não notei. Muitas "perdas" na minha vida foram, de fato, ganhos. Sou muito grata por essas perdas, agora que entendi porque essas pessoas se foram.

A vida ensina e o tempo traz o tom 
Pra nascer uma canção 
Com a fé do dia a dia encontro a solução

Mas, não é esse o tema desse post. O post era sobre os caminhos que me trouxeram até aqui e que me levam onde eu quero (e preciso) chegar.
Decidi estudar psicologia ainda na infância, quando os pais de uma amiga se divorciaram e ela virou apenas sombra do que era. Naquela época eu pretendia estudar direito e psicologia e ser a advogada que fazia a diferença na vida das criançs, o tempo passou e a ideia de cursar duas faculdades de 5 anos de duração passou a me incomodar, começaria uma em 2005 e  a outra em 2010 e só teria terminado as 2 no fim de 2014...vish estaria com quase 27 anos, pra casa e ter filhos...velha já. (Vish 2) e então fui cedendo ao que diziam os outros, ao que pensavam os outros e abri mão dos meus sonhos...
Terminei o ensino médio em 2004, as vésperas de completar 17 anos e pedi aos meus pais um ano sabático, ano esse que me exclui da sociedade. Larguei cursos de idiomas, dança e profissionalizantes e passei esse ano inteiro entre computador, cama e  tv. Fazia uns bicos de explicadora e babá pra ter dinheiro, beijava na boca pra ter um hobby e assim cheguei aos 18...A pressão para fazer uma faculdade foi ficando pesada "Turismo" da dinheiro, "Biologia" é legal...e assim cursei turismo, que não foi uma gigante falta de tempo porque vivi momentos e fiz amizades que vou levar pra sempre. Ao mesmo tempo me tornava cristã católica praticante e fui levando, fui seguindo...até o dia da crise. Não era aquilo que eu queria, ali não era o meu lugar, aquela não era a minha vida! Eu queria ajudar as pessoas, eu queria ser a diferença!
Conversa com padre e com pai e tranca a matrícula. Quero fazer psicologia, mãe quer jornalismo, pai quer direito...seis meses de deliberação. Psicologia é mais caro que as outras, vou fazer jornalismo...Mas pera, empresa do papai é conveniada a uma universidade, bolsa de 30%...Psicologia it is.
E assim cheguei no que eu queria. E fui aprendendo e gostando e me apaixonando. Comecei a terapia e fui me conhecendo e me curando de tantas coisas e descobrindo outras tantas que me feriam sem nem eu saber. E me afastei da igreja, porque pregava coisas que não fazia e aquilo me aborrecia. E comecei a trabalhar e o encantamento só aumentou, mas faltava algo. O que vai ser? Trabalho  voluntário? Terapeuta me convida para mediar um grupo de apoio a mulheres vítimas de violência doméstica e isso me anima ainda mais. Infelizmente o projeto não foi pra frente e eu fiquei sem um projeto futuro pra fazer a diferença.
O tempo passou e eu sofri calado, não deu pra tirar ela do pensamento¹, não pera...o tempo passou, engravidei, sofri, amadureci e veio o desejo de trabalhar em maternidades, me especializar em trabalhar com gestantes e puérperas, "é isso serei doula", três doulandas por vez uma de cada trimestre, vai ser lindo. Psicóloga e doula, vou ser diferente, vou ser a diferença. Mas ainda faltava um je ne sais quoi² e bateu a crise. Eu me sentia estagnada, eu não estava fazendo a diferença, eu não estava saindo do lugar! Aqui aconteceu um momento fofo, comentei com o marido que queria fazer a diferença na vida das pessoas antes de partir, queria mudar ao menos uma vida pra que minha missão estivesse completa e ele disse que eu havia feito a diferença na dele  (todos dizem oooown) e foi aí que as coisas entraram no rumo, por providencia divina eu conheci o trabalho da Paula Abreu, fiz o curso Paixão Modo de Usar ao mesmo tempo que me aventura na leitura de mais um livro da Rhonda Byrnes, vou me matricular num curso de arteterapia e vejo que tem um de introdução ao coach pelo mesmo preço e sem pensar muito lá vou eu pegar um caminho diferente. O meu caminho! Eu percebo que posso fazer a diferença na vida das pessoas, de verdade...eu posso ajudar as pessoas. E é assim que me vejo estudando PNL, buscando formações, criando o Projeto Eu Melhor e já pensando em como juntar as 2 coisas o couch e doula, mas isso é projeto futuro...
Um passo de cada vez....



Você não sabe o quanto eu caminhei 
Pra chegar até aqui


¹ Covite de Casamento - Gian e Giovani
² Expressão francesa que significa "eu não sei o que"

segunda-feira, 15 de junho de 2015

À beira de um colapso nervoso

Semana de provas, criação e elaboração do Projeto Eu Melhor, filho pequeno. Dificuldades pra dormir e para me concentrar...se deito fico ansiosa, se levanto para estudar fico sonolenta.
Tenho estudado muito para que o projeto seja como eu sonho, e preciso estudar muito para as provas ah e tem o curumim que não tem entendimento de que preciso focar em outras coisas por 7 dias.
Se eu surtar...já sabem!

sábado, 13 de junho de 2015

Felicidade Plena

O que é a felicidade plena?
Analisando os resultados do questionário para o Ensaio sobre a Felicidade vi que a maioria (63,8%) acredita ser possível atingir a felicidade plena, mas apenas 16,6% se consideram plenamente felizes (55% as vezes se consideram plenamente felizes e 28% não se consideram). 
E eu fiquei intrigada com a diferença gritante entre quem acredita ser possível atingir a felicidade plena e quem se considera plenamente feliz. O que faria um percentual tão grande acreditar, mas tão poucos considerarem-se plenamente felizes? E, principalmente, o que impede quase 50% das pessoas que responderam a pesquisa levanteram e buscarem a felicidade plena?
No questionário, eu também perguntei o que faltava para a felicidade plena e tive muitas respostas diferentes, houve quem falasse em estabilidade (financeira e "de modo geral"), houve quem falasse em ter filhos, paz interior, dinheiro, liberdade, realização de sonhos e planos, enfim, está sempre faltando alguma coisa.
E me veio a dúvida, está de fato faltando mesmo alguma coisa ou nós é que não aceitamos o quão simples é ser feliz?
Somos bombardeados com um ideal de felicidade, corpo x, quantidade y no banco, celular z, relacionamento impecável com sexo abrasador e diário, e mais uma porção de coisas que por si só são contraditórias.
Será que o que nos impede de ser feliz não é, simplesmente, a falta de foco naquilo que realmente nos faz feliz? 
Jean-Jacques Rousseau acreditava que o ser humano era originalmente feliz e com o advento da civilização foi perdendo a felicidade, certo? Baseando-me nessa teoria, posso dizer que todos somos felizes na essência, mas buscamos sempre mais porque não conseguimos aceitar a felicidade das pequenas coisas ou talvez porque não aceitamos ser felizes com menos que os outros.
A felicidade é subjetiva, cada um sabe o que e quanto lhe faz feliz e basear essas coisas nos padrões de outros é garantia de nunca encontrar a felicidade plena.



segunda-feira, 8 de junho de 2015

Projeto Eu Melhor

Hoje o Projeto Eu Melhor ia nascer, cesárea estava agendada já, mas então um exame mais minucioso me disse que não era a hora, que ele nasceria prematuro, muito prematuro... Ia direto pra UTI neo e talvez nunca saísse do hospital. Então ele continuará sendo gerado mais algumas semanas.
O projeto Eu Melhor é um irmão do Ensaio Sobre a Felicidade, um irmão que é quase um filhote.
Enquanto o ensaio nasceu de um trabalho de um curso de extensão que eu estava fazendo o Projeto nasceu dos lugares que o Ensaio me levou, da percepção de que para fazer do mundo um lugar melhor, eu preciso ser melhor.
E projeto começa de fato em mim, na construção de um "eu melhor" pra que eu seja quem quero ser.
Hoje, dei nome a ideia, dei forma a ela, mas o Universo me testou no lugar de ser grata e entender que eu era a pessoa certa no lugar certo, eu fiquei brava, chorei e não agradeci, quando recuperei meu foco vi que não era a hora do projeto nascer, ele precisa amadurecer, assim como eu!
Reagendei seu nascimento para o dia 2 julho, o dia que marca a exata metade do ano, achei cabalístico... Veremos!!

domingo, 7 de junho de 2015

O que sou x O que quero ser

Mudar é bom! Mudar é necessário para o amadurecimento e para o crescimento.
Mudar é bom, mas mudar é difícil pra caramba. Abrir mão de hábitos, crenças e vícios é um processo lento e doloroso. Abandonar o mimimi é complicado, porque o mimimi é fácil, é prático e beira o automático (até rimou).
A pessoa que almejo ser é grata, não pratica o mimimi e é feliz pois tem consciência de que é parte do Universo, mas a pessoa que sou é fraca e pratica mimimi quando as coisas saem do seu controle, mesmo sabendo que as coisas só saem do rumo para o bem maior e que o resultado final é sempre perfeito.
Quem eu almejo ser já existe, só preciso torná-la consciente e dona de quem sou.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Inquieta

"Seja você mesmo , todas as outras personalidades já tem dono" Oscar Wilde

Que descoberta fantástica essa, a de que eu não poderia ser qualquer outra pessoa que não eu, que eu não poderia estar em lugar nenhum que não aqui e em momento nenhum que não agora. Gratidão imensa por ser e saber!!
Não quero e nem preciso ser qualquer outra pessoa. Não me cadastrei na competição de pessoa mais fodástica do mundo e isso me tira o peso de precisar competir com todas as outras pessoas. Compito somente comigo, batalho para ser sempre melhor que fui no dia anterior, uma pessoa melhor, um ser humano melhor.
Crescendo sempre, agradecendo sempre...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Sem foco

Desde que iniciei o Ensaio sobre a Felicidade, meio que sem querer ou sem perceber, fui sendo direcionada para um caminho que não havia escolhido trilhar, mas como mais eu seguia nesse caminho, mais coisas maravilhosas me convidavam a seguir esse caminho e assim, eu venho fazendo. Estou estudando coisas muito interessantes aprendendo muito e resignificando muitas coisas na minha vida e na minha realidade.
E o Universo é maravilhoso, ele é brilhante e ele foi me presenteando com situações e oportunidades de enxergar na prática o que eu aprendo na teoria e testar a eficácia dessas coisas.
Ontem, como eu já havia comentado aqui, eu tive um sonho que me fez acordar mal humorada, e ao invés de agradecer por ter sido só um sonho por não pertencer a realidade, eu deixei que isso ditasse o ritmo do meu dia. E meu dia foi sendo bem horrível, mas depois de umas horas eu parei, respirei, meditei e restaurei meu equilíbrio interno. Mas, as coisas começaram a mudar e uma pessoa começou a me apresentar coisas que afetavam esse meu equilíbrio e, novamente ao invés de parar e focar minhas energias em algo que me trouxesse de volta ao equilíbrio e algo que me permitisse transformar aquilo numa oportunidade de fazer a diferença na vida de alguém (meu propósito máximo), gastei toda minha energia vital em confrontar e aí, ninguém saiu ajudado.
Eu me libertei de algo que há tempos me fazia mal, me incomodava de verdade, mas eu poderia ter saído dessa situação de maneira mais leve, eu poderia ter levada resignificância para a vida de alguém, eu poderia ter lidado com tudo de forma leve e grata. Grata por eu ter o conhecimento necessário para saber que ali há um problema e por ter meios de ajudar a resolve-lo, mas eu esqueci de observar a cena como um todo e foquei só no problema, eu esqueci de olhar a solução. Uma pena!
O resultado foi, em suma, agradável. Caiu sobre mim toda a carga pesada que era levada por um número maior de pessoas e externamente saio malvista, mas internamente não preciso carregar a carga de enganar a ninguém, por isso saio grata também por não precisar lidar com essa batalha. Usarei essa experiência como parâmetro de como não agir de hoje em diante e na próxima vez que me for possível fazer a diferença na vida de alguém, farei.

Conheça-te

Conhecer-se é uma das coisas mais importantes para o encontro da felicidade.
É preciso conhecer cada aspecto da nossa personalidade, cada falha e erro tão bem quanto é preciso conhecer cada qualidade e dom, porque sem conhece-los caímos na falha de viver pelo achar do outro e não pelo nosso saber, e não há quem nos conheça melhor (ou não deveria haver) que nós mesmos.
No achar dos outros moram coisas verdadeiras, é bem verdade e por isso conhecer-se é importante também, para que dons e falhas não sejam conhecidos de todos menos nós.
No momento em que você se conhece o achar dos outros não te afeta, porque enquanto eles acham, você sabe!

terça-feira, 2 de junho de 2015

Efeito Cascata

Eu sonhei uma coisa ruim
Acordei mal humorada
O dia está sendo um cu
Pronto!

sábado, 30 de maio de 2015

Estar em paz

Uma das coisas que a maturidade nos traz é a tranquilidade em lidar com a rejeição. Veja bem, depois de uma fase na vida, que pode ser alcançada mais rapidamente através de terapia, a gente entende que não é todo mundo que vai gostar da gente, assim como não vamos gostar de todo mundo. Esse é um peso maravilhoso de se tirar das costas.
Óbvio que ninguém quer uma torcida te odiando, aqui eu falo do fato de "não gostar", o básico "não ir com a cara"...
Essa rejeição é mais difícil de lidar quando é o fim de algum relacionamento. Como aceitar bem que já não existe ali o bem querer de antes? Fui eu que fiz alguma coisa? Será que não tem jeito de voltar a ser como era antes?
O jeito mais fácil e eficiente é perguntar. Pois é,  o óbvio é sempre o mais eficaz. Se depois de perguntar, de boa, sem brigas ou pressões o que foi que aconteceu e porque as coisas mudaram a outra pessoa escolher não abrir o jogo, essa é a hora de escolher ficar em paz e seguir em frente.
E assim a vida segue e a roda gira...

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Paixão

Eu tenho uma paixão danada por escrever. Seja crônicas relacionadas a vida real, sejam minhas ânsias e angustias do dia, seja histórias fictícias.
Responsabilizo minha mãe por isso. Quando fiz 8 anos ganhei um diário e lá eu escrevia tudo, toda vez que eu apanhava, que ela gritava comigo ou que um menino bonito sorria pra mim. Era lá também que eu escrevia "meus livros" que eu nunca deixava ninguém ler.
Um dia, em 2010 eu criei uma história fantástica (no sentido de que só existe na imaginação, fantasia) baseada num situação real e achei por bem postá-la na internet pra que alguém lesse meio que por acidente, nunca divulguei o blog ou a história.
Em 5 anos só escrevi 4 capítulos meio capengas e contraditórios, mas o blog ficou lá e sempre que o mosquitinho da escrita me mordia eu ia lá e rascunhava alguma coisa, e em todo esse tempo só 9 postagens foram publicadas.
As vezes me dá foguinho de começar a postar sempre, nem que seja uma vez na semana, concluir uma história. Hoje é um desses dias, me deu fogo de encerrar A Mãe Solteira (eu ia melhorar, mas reli e meu chamego por ela é tanto que só vou finalizar), continuar com Caminhos e Os 6 últimos meses e que elas sejam postadas segundas, quartas e sextas, respectivamente.
Veremos...

sábado, 23 de maio de 2015

Andar com fé eu vou...

"Você vive dizendo que é pobre, mas vive falando em viajar. Tá mentindo sobre qual dos dois?"
Existe um negócio nessa vida que, sem ele perdemos toda a magia da coisa: A fé.
A fé é a irmã mais velha da esperança. Enquanto com a esperança vive uma chama dentro de nós que torce pra que as coisas dêem certo, com a fé a gente SABE que vão dar.
Então, eu não minto sobre todos os lugares que vou visitar. Se não for esse ano, vou no próximo.

...que a fé não costuma falhar. E por isso, eu sou grata.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

O lado bom da vida

Psicologia. O Rei Leão. Aladdin. Harry Potter. Friends. The Big Bang Theory. Cachos. Finchel. Rent. Dirty Dancing. Ghost. Panqueca. Salpicão. Cinema. Pizza. Vinho. Blog. Sol. Mar. Piscina. Rede. Camarão. Turma da Mônica. Salada de frutas. Música. Lápis de olho. Carnaval. Desenho. Coca cola. Diamante Negro. Fanta Uva. Beijinho de coco. GSR. Tablito.  Dory. Cake Boss. Bolo de Cenoura. Água de coco. Biscoito de chocolate. Abraço. Limonada gelada. Sacolé. Caneta preta. Twitter. Vento. Céu Azul. Golfinhos. Borboletas.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

O que faz você feliz?

Tal qual o jingle daquele rede de supermercados eu vos pergunto: "O que faz você feliz?" e pergunto mais "Onde habita sua felicidade ideal?"
Ouso dizer que minha felicidade ideal está num emprego de meio período, que pague bem e me permita ir pra casa e acompanhar o crescimento do meu filho, vê-lo passar por toda infância e fazer parte das lembranças dele, fazer bolo e suco para ele e os amigos que vierem fazer trabalho ou brincar. Uma casa com quintal com espaço pra ele jogar bola e soltar pipa, talvez um gato e um cachorro. Tempo pra ler um livro, ver um filme ou assistir um seriado antes do jantar. Jantar em família, conversando sobre como foi nosso dia. Talvez mais um ou dois filhos e uma diarista pra dar o faxinão uma vez na semana. Viagens uma vez por ano, pra relaxar, passear, aprender, criar vínculos e memórias. Tal qual Jean-Jacques Rousseau, acredito que a felicidade está na simplicidade, ao menos a minha.

domingo, 17 de maio de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (17/30)

16. Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Eu posso jurar que haviam partes desse livro que tinham sido completamente apagas da minha mente. Muita coisa foi novidade total. Eu não lembrava, por exemplo do funeral do Dumbledore, mas lembrava do Harry terminando com a Gina...

17. Harry Potter e as Relíquias da Morte
Por Deus!!!
Foi como se fosse a primeira vez. Eu não lembrava de absolutamente nada desse livro. Eu não lembrava que o Monstro ficava "bonzinho", não lembrava que o nome Voldemort tinha virado tabu e não lembrava que haviam traduzido o nome do Remo pra Remo João. Aff... E também não lembrava que o relacionamento Luna/Longbottom não existia de verdade e só no filme. E gostei da sensação de "novidade" na leitura...

Eu reli a saga completa em 17 dias. É tão fácil entender porque a saga tem tantos fãs, acho impossível ler e não se ver completamente cativado e apaixonado. Espero passar essa paixão pro Ravi, porque a história é deliciosamente cativante. Fico cheia de curiosidade pra saber se os Potter moram no Largo Grimmauld, se o Monstro é o elfo deles, como foi o casamento deles...A dona Joanne podia ter piedade de nós e ir lançando continhos explicando essas coisas.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Descorra sobra sua raiva em no mínimo 250 palavras

Sou assim, aborreço-me fácil, grito, faço bico, xingo, discuto, brigo e choro, e depois choro de raiva por estar chorando. Eu sinto raiva e se não posso extravasar, eu somatizo e sinto a raiva entalada na garganta. Eu sou humana, sou gente.
Médicos ficam doentes, psicólogos sentem raiva...é assim a vida.
Se quiser postura profissional, pague a consulta, ora bolas...
Ah eu guardo rancor também. Guardo mágoas, ainda não aprendi a deixar pra lá.
Se estou explodindo de raiva, quero um abraço e um ombro amigo pra chorar, não quero fazer dever de casa!

quarta-feira, 13 de maio de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (15/30)

15. Harry Potter e a Ordem da Fênix
Quando ganhei esse livro, na semana do lançamento eu o li em 48 horas. Bebia cada palavra com uma ansiedade louca, tudo porque diziam que um "amigo" do Harry ia morrer e eu precisa saber quem era. Dessa vez não senti o mesmo tchererê, fui achando bem arrastado e só animei depois que a Umbridge descobriu a AD, daí fui lendo de novo com a ansiedade a mil. Chorei com a morte do Sirius e culpo o Snape eternamente.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (14/30)

14. Harry Potter e o Calíce de Fogo


Foi o primeiro do HP que eu li, ganhei de presente de aniversário. Então tenho um chamego especial por ele.  Reli o livro como se fosse a primeira vez, fui bebendo cada palavra...ai nossa. Tenho um tanto de pena de quem só viu os filmes sem conhecer a história de verdade....

terça-feira, 5 de maio de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (13/30)

12. Harry Potter e a Câmara Secreta

A Câmara é o meu filme favorito na franquia, mas o livro é tão melhor!!!! Fica tanta coisa de fora que me dá até raiva...


13. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
O filme que eu menos gosto e o livro que eu mais amo. O Snape que no cinema é só chatinho, se mostra um recalcado do caramba, cheio de inveja dos Marotos. O Pontas ser um cervo e por isso o patrono do Harry ser um servo, a Cho e o Diggory, o Quadribol, o Pichitinho....tudo isso é limado do filme.

sábado, 2 de maio de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (11/30)

11. Harry Potter e a Pedra Filosofal



Na quinta passada (30/04) está conversando cazamiga sobre Harry Potter e me deu fogo na bunda, baixei o jogo da Pedra Filosofal (de novo) e fui lá na minha mãe, me embrenhei no meu antigo armário, peguei minha coleção do HP e vou lê-los de novo.
O primeiro já foi. Tão gostoso, tão fofo...tão perfeito.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Grrrrrrrrrr

Nesse momento eu estou altamente puta da cara!
Tanta raiva que minha garganta dói, é como se tudo que está entalado na minha garganta se tornasse uma bolota física que me engasga e arde de verdade.
Eu sabia que isso ia acontecer, eu tinha certeza absoluta...mas ele disse que "não" e tã Dã...eu estava certa.
Mas que porra, viu?

sexta-feira, 17 de abril de 2015

O que é a felicidade?

Desde que decidi construir esse ensaio tenho lido muitos artigos sobre o tema e já montei uma lista de livros pra ler. Mas uma coisa é certa, a felicidade é subjetiva, ou seja, por mais embasamento científico que esse texto contenha afinal, não haverá um resposta uma resposta definitiva ou correta, cada pessoa verá a felicidade de uma forma, cada pessoa encontrará a felicidade em algum lugar, algumas pessoas irão buscá-la eternamente e nunca irão achá-la, outras muitas terão encontros diários com ela. O que difere essas pessoas? Suas crenças, experiências, decisões? O que faz, definitivamente uma pessoa feliz? É possível ser feliz e não saber?
O que, afinal, é a felicidade?
De acordo com o dicionário da língua portuguesa é: 1. Concurso de circunstâncias que causam ventura. 2 Estado da pessoa feliz. 3 Sorte. 4 Ventura, dita. 5 Bom êxito.
Tal qual a imagem de motivação, o dicionário também nos diz que a felicidade é questão de sorte.  Para o budismo a felicidade é a superação do desejo, de todas as formas. É preciso serenidade mental pra ser feliz, não adianta ter amigos, riquezas ou coisa alguma se não há uma mente disposta a ser feliz.
Jean-Jacques Rousseau acreditava que o ser humano era originalmente feliz e perdeu essa felicidade com o advento da civilização e só encontraria essa felicidade voltando a simplicidade original.
Talvez felicidade seja ter a sorte de encontrar um lugar para se viver de forma simples  e serena. Ou talvez felicidade seja chegar do trabalho depois de um dia cansativo e beber um copo de refrigerante gelado enquanto se assiste um vídeo divertido pelo celular.

Gerando um projeto

Quando precisa responder "qual o seu sonho?" em cadernos de perguntas sempre respondia "ser feliz". Era esse meu sonho, conseguir a felicidade plena, atingi-la, ser feliz sempre. E nessa minha busca pela felicidade, o universo me guiou ao "Ensaio sobre a felicidade", um projeto que eu estou gerando e pretendo parir ainda em 2015.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ensaio sobre a felicidade

Ensaio é um texto literário, situado entre o poético e o didático, expondo ideias, críticas e reflexões éticas e filosóficas a respeito de certo tema.
Felicidade é o estado de quem é feliz, bem- estar, contentamento. O oposto de felicidade não é tristeza, e sim infelicidade, ou seja, é possível ser feliz e estar triste ou ser infeliz e estar alegre.
É possível atingir a felicidade plena? Existe um segredo pra ser feliz? O que faz alguém feliz? O que te faria feliz? O que falta pra você ser feliz?

Vai levando...

E daí que ontem enquanto eu ainda refletia sobre onde estou, quem sou, pra onde vou decidi dar uma limpada na minha caixa de e-mail e li uma mensagem "Que a rotina vire felicidade" e bateu aquela coisa de conflito, sabe? Porque, a primeira vista, essa mensagem contraria a ideia de ontem, a moça que terá mil primeiras vezes não vive mais a rotina de sempre...
E aí veio a dúvida faço como? Busco uma vida que me faça feliz ou busco felicidade na vida que eu tenho?
Um textinho tão simples, tão comum e tão profundo, tão questionador.
"Eu almejo sim batalhar pelos meus sonhos e viver intensamente o contentamento de suas realizações."
Ora, aí está a resposta. Encontrar felicidade na rotina, não é se conformar com a vidinha de sempre, não é deixar de buscar uma vida melhor, experiências novas. Encontrar felicidade na rotina é não se abater pelos dias normais, porque eles existem. Não é todo dia que vamos descer o Insano, andar na
Millennium Force ou passar o Natal na Disneyland, vão ter dias com corre corre, louça pra lavar, roupa pra passar e filho pra cuidar e nesses dias não dá pra ir dormir frustrado, tem que ser feliz também...Mas, sem obrigação de encontrar aquela felicidade de tv, viu?

Enquanto isso no lustre do castelo estou penando pra fazer o novo layout, deixar mais a minha cara...

terça-feira, 14 de abril de 2015

O que aconteceu comigo?

Essa semana vi as fotos da formatura da minha turma original da faculdade, uma das colegas é formada, agora, em direito e psicologia. Lembrei que era esse meu sonho de infância, ser formada em direito e psicologia e trabalhar na Vara de Família, ia ser a única advogada que pensava nas crianças.
Hoje de manhã estava assistindo o programa da Ana Maria Braga e uma matéria sobre "primeira vez" me chamou muito a atenção. não falava só da primeira vez sexual e sim de primeira experiências. Nela, uma mulher falava da experiência de viver 365 primeira vezes (que foi ampliada pra 500 e agora pra mil), sendo assim todo dia ela faz algo novo, todo dia ela vive uma primeira vez, e eu fiquei ali pensando "meu Deus, que maravilhoso"
Juntaram-se em mim as duas coisas, que podem parecer não ter nada haver, mas me dei conta que nesses 27 anos fui me matando aos pouquinhos, fui transformando meus sonhos em bobagens, em perda de tempo. Não cursei Psicologia logo de cara porque era muito caro, fui fazer Turismo porque era barato e dava dinheiro, e o direito eu simplesmente apaguei de mim quando a mãe de uma ex amiga disse que nós três (a filha dela, uma terceira amiga e eu) querermos cursar a mesma faculdade era no mínimo estranho...me afetou, deixei pra lá (só a terceira colega, atualmente é advogada).
Daí caí na besteira de dizer que quando me formasse, talvez cursasse direito e ouvi "nossa mas aí é gostar muito de faculdade" e guardei pra lá de novo. Fiquei colocando na minha mente que é besteira, desnecessário, que não preciso disso...
Não sei mesmo o que aconteceu comigo, em que momento virei essa pessoa que é apenas igual a todo mundo, só sei que hoje eu deixei de sê-la.

Quase lá...

Editei umas coisinhas, apaguei outras e já está quase na hora de abrir de novo, falta só mudar o template e deixar com uma cara nova...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Ainda cas portas fechadas

A ideia era mudar o blog pra um usuário genérico, assim nenhum cliente corria o risco de me achar e mudar de terapeuta para uma menos lelé, mas vou só apagar as fotos pessoais e ver se dá pra passar batido. Será?
A merda é o trabalho que vai dar...
Queria trocar de template também... Enjoei desse (aliás enjoei do outro também)...

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Fechando as portas

Vou trancar aqui, mudar para somente leitores convidados. Algumas mudanças se farão necessárias e, enquanto eu arrumo a casa não vou poder deixar entrar todo mundo. OK? Grata.

sábado, 21 de março de 2015

Ainda sobre a morte do Cory....

Esse serie finale de Glee mexeu mesmo comigo. Fiquei pensando nas hoooras que passava no tópico Finchel na Glee Brasil, nas amizades sinceras que fiz e que foram tão gostosas enquanto existiram. Nas risadas, nos apelidos, na implicância. A gente se dava tão bem, era tão feliz juntos e um dia...acabou. Eu me afastei, sem nem perceber e fim.
Aí fiquei pensando aqui em outro círculo de amizade feito pela internet, em como era maravilhoso e divertido e em como está mudado, afastado, ausente...
É..acho que a vida é cíclica.

Sobre fins, finais e encerramentos.

A morte é definitiva e estraga tudo. Pois é, estraga tudo!
Em 2013 o ator Cory Monteith teve uma overdose e morreu no Canadá e levou consigo pra sempre o personagem de Glee, Finn Hudson.

 Daí Glee acabou e o Finn não estava lá no último episódio e ficou aquele vazio maldito do espaço que era dele. Jesse St James voltou e casou com a Rachel Berry, e eu gostei desse final, mas gostei porque não tinha como o fim ser Rachel e Finn, Finchel, porque a morte é definitiva e estraga a porra toda. 


Ninguém morrer só um pouquinho, ninguém morre só por 6 meses. O Cory morreu pra sempre! Nunca mais eu vou ver uma foto nova daquele sorriso torto tão perfeito e ele levou o Finn com ele e matou o shipper mais maravilhoso de todos e estragou a porra do final da série

. E eu, que nunca assisti o episódio em homenagem a ele, hoje finalmente aceitei que ele morreu mesmo, pra sempre e levou junto um monte de possibilidades. E assim foi o fim de Glee pra mim, o fechamento de um ciclo tão divertido e a certeza de que nunca mais haverá Cory Monteith.

quinta-feira, 19 de março de 2015

101 em 1001 - 81. Levar o Ravi ao parque

Antes tarde do que nunca!!
Dia 30/01 nós levamos o Ravi ao parque. Tudo bem que foi mais eu que brinquei...mas acho que já vale, né?


Aff

Eu estou cansada de tomar no cu! Pois é...vai ter palavrão nesse post...se você for sensível, melhor voltar outro dia...mas hoje, eu estou cansada de tomar no cu.
Que semana de merda é essa? Diz pra mim!!!!!
No domingo entreguei R$200 limpos, de um dinheiro que eu batalhei pra ganhar, nas sofridas mãos da pobre menina rica que não vendeu nem R$30...
Mas, eu decidi seguir em frente, sem me abalar "muito". A coitadinha passa por mim e vira a cara, o que não faz sentido, né? Se eu ganhasse R$200 ia ser grata a essa pessoa, mas oquei...direito dela.
Daí hoje uma pessoa que encomendou um chinelo, com strass e flor, avisa que não quer mais. Oi? E eu faço o que com a porra do chinelo? Com a merda do strass que custa R$2,50 o metro? E a flor, eu enfio no rabo?
Ah e tem obviamente os problemas habituais, que já são meio que partes da minha vida...mas olha.
Estou cansando de tomar no cu!

segunda-feira, 16 de março de 2015

Ops...


O post anterior se auto destruiu!

sexta-feira, 13 de março de 2015

Não é possível

Não é possível que só eu veja o erro em um homem falar abertamente, num grupo em que está a mãe, as tias, as tias-avós e os irmãos de 8 anos, que vai por o pau na mão da esposa e a galera achar engraçado.
Eu sou a chata ou a única sensata nessa porra?

quinta-feira, 12 de março de 2015

Antissocial

Eu desativei minhas contas no Facebook, as 2 e desde então, estou tomando coragem pra desinstalar o whatsapp!
Não sei se foram os últimos dias, se é essa música aos berros que não deixou meu filho dormir e nem me permite estudar, se é essa nhanha que não me deixa...sei que o Facebook se tornou impraticável pra mim.
O whatsapp é diferente, não é que esteja impraticável, só não é a mesma....
Sei lá, viu?
Enfim
Se eu sumir por muito tempo podem chamar os bombeiros!

segunda-feira, 9 de março de 2015

Apenas mais uma de amor...

Hoje eu quero falar, falar muito e sobre muitas coisas. Talvez  o post se torne confuso, um emaranhado de ideias que não casam, talvez eu divida em vários posts ou drops...vai acomapanhando daí e se, por acaso, se perder me avisa que eu te gui pela mão.
Vamos falar da Dilma? Porque acho que com ela puxo todo o resto.
Ontem houve pronunciamente da presidenta e lá em São Paulo teve panelaço, buzinaço e vaias pra TV. OK? ok
Acho válida toda forma de protestar que não envolva vandalismo, mas acho também que o protesto todo foi tipo meu pai xingando os jogadores do Botafogo enquanto assiste aos jogos sentado na varanda de casa. O que complica nesses protesto é a misóginia do negócio, afinal chamar de corrupta, burra ou qualquer outra ofensa que caberia caso fosse um presisento (eu sei, eu sei) é pouco e a galera passa logo pra "vaca", "piranha" ou "gorda" e "dentuça"...aí a coisa fica feia, hein...
E falando em coisa feia...
Um juiz disse que no twitter que Gilma sancionando a lei do feminicídio, seria "legislar em causa própria", opa...peraí...como? A galera chiou, óbvio e aí ele disse o clássico: "Just kidding". Tenho andado meio puta da vida com isso, galera anda falando todo tipo de merda e em toda siituação e ao rolar um contestamento diz "Era brincadeira/piada" e pronto! Não pode ser assim não, amiguinhos! Sejamos mais sensatos!!! Pense antes de falar e ASSUMA A MERDA QUE DISSE, caso seja contestado. Justificar com "tava brincando" só faz de você um babaca frouxo...fica a dica.
Falta alguma coisa?
Ah sim...
Qual é essa parad que agora opinião virou bandeira de guerra? Não dá pra dizer um "ai" sem que a turma do "ui" não comece com ataques pessoais e irrestritos.
Parem! Eu hein...
É acho que, por enquanto, é isso...vou seguindo com esse forninho pesado que eu tô segurando.
Beijos e queijos.

sábado, 7 de março de 2015

Tamanho único

Carapuças são todas de tamanho único, né? E vestem bem em pessoas de tamanhos variáveis, tipo aquele jeans mágico de 4 amigas e um jeans viajante.
Então, de boa, pode ser que seja neura minha...mas optei por me isolar nesse momento que estou mega pra baixo e vejo azamiga tudo reclamando de gente que não levanta o astral. Vou ficando aqui, quietinha, calada, isolada, em paz....Não aquela paz, de estar calma e centrada, não. Estou tão nervosa que mal me aguento de pé, mas em paz no sentido de não ter que me esforçar pra agradar ninguém. Não estou podendo dar conta da minha carga pesada, que dirá ajudar alguém a carregar a vida com leveza. Ficamos aqui, minhas urucas e eu...
Em paz...

sexta-feira, 6 de março de 2015

Mea Culpa

Venho por meio desta pedir desculpas, melhor ainda, pedir perdão. Desculpa se minha infelicidade, meus problemas, atrapalham a sua felicidade, nunca foi minha intenção.
De fato, queria estar na mesma vibe que você. Ah como eu queria ser feliz indiscriminadamente!
Mas, meu dia vai chegar....dogs day will be over. E aí, espero te encontrar no topo pra gente voltar a rir juntas, mas se você estiver passando por um momento difícil, pode contar comigo também, vou dar o meu melhor pra te ajudar. Nem que seja sendo só companhia.
"Não há mal sempre dure, não há bem que nunca acabe."

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Tá na moda

(Esse texto deveria ser status do Facebook, mas pra evitar os "Nem li, veio pro blog)

"Essas tendências são para deixar as mulheres maluca, a pouco tempo atrás todo mundo alisando o cabelo, agora a tendência é deixar o natural e tá todo mundo fazendo transição capilar para voltar os cachos."

Li esse comentário e lembrei-me de outro, sobre estar com o cabelo na moda. Acredito que a pessoa não entenda que não há nada de tendência, nem na progressiva, nem no visual natural. A progressiva era quase uma imposição, ser lisa é ser linda, cabelo crespo é coisa de mulher relaxada ou de quem tá sem grana pra alisar. É feio! Por Deus, é ruim! Eu cresci ouvindo isso...meu cabelo é ruim, na verdade, muito ruim. Não tem jeito. Então afoga ele em formol e pronto, "tá lindo". Uau!
Mas eu não gosto de chapinha, não me reconheço com os cabelos lisos, eu gosto das minhas molinhas, mas não quero parecer relaxada, nem quero ficar feia, ora bolas...
Mas alguém lutou! Alguém teve a coragem que eu não tive e decidiu que era linda e pronto. Foda-se a imposição da sociedade!
Não é estar na moda, seguir tendência, é se aceitar crespa e linda. É perceber que não preciso ser padronizada, eu sou preciso ser eu.

Vilões e Mocinhos

O vilão não é malvado pelo simples prazer de ser mau, aliás, o vilão nem se acha mau. Na cabeça dele o erro é do outro. Ele é injustiçado e precisa apenas defender-se.
O vilão se vê mocinho, salvo raras exceções.
Assim sendo, fica em mim a dúvida. Sou eu mocinha ou vilã? Sofro eu, ataques massivos e desnecessários ou nada além de represálias a minha vilania?
Talvez um pouco dos dois. Aqui é vida real, ninguém é só bom, tal qual as mocinhas da novela ou só mau, tal qual as vilãs.
Talvez se a polaridade fosse assim extrema e definida, a vida fosse mais simples. "Sou má e pronto! Vou aproveitar enquanto posso pois o bem sempre vence." ou "Sofro aqui, vou chorar e tudo mais, mas terei meu final feliz."

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Segue em frente...

Os incomodados que se mudem, diz o ditado.
E é isso que estou fazendo, aos pouquinhos vou me mudando. Mudando meu relacionamento comigo mesma, mudado a maneira com que vejo o mundo, vou mudando.
Focando toda minha energia em encontrar minha felicidade.
E as energias ruins...bom, essas tem se convertido em boas energias antes de me atingir...
E vamos em frente que não dá pra dar parar.
E a vocês que a vida lhes devolva em dobro, sempre!!!!!!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Dr Google

Nunca, jamais, sob hipótese alguma pesquise no Google os sintomas que você sente. Fui diagnostica com as possíveis doenças: Depressa (Jura?), Lupus, Esclerose, Síndrome do pânico ou câncer....
O certo é caçar um médico formado, eu sei...
Quando eu parar de chorar eu faço isso, prometo....

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (10/30)

8. Melancia

Eu queria ler esse livro a muito tempo. E olha, ele corresponde a todas as expectativas, é leve, engraçado e muito muito bom.

9. Se eu Ficar
Ela tá sonhando? Ela tá tendo um experiência sobrenatural? Ela acordou? Ela morreu? Aff...terminei o livro com muitas dúvidas....E uma sensaçãozinha de foda mal dada

10. Pra Onde Ela Foi


Aí sim!!! Livro gostoso, suave, me fez torcer tanto por eles....

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Cansada...

Eu pensei em me matar 3 vezes.
Na primeira a vida tava tão ruim, que eu só queria acabar com ela. Cheguei a escrever uma carta, onde eu dizia a algumas pessoas que a culpa era delas. Péssimo, eu sei...mas estava tão fudida que só queria que as pessoas se sentissem igual. Mas, como diziam as coisas pioram antes de melhorar. E depois do fundo do poço as coisas melhoraram tanto...
Até dia 16 de outubro de 2012. Eu meio que virei uma sombra de mim mesma.
Pouco mais de um mês depois, eu ia pular na frente de um trem...pois é.
E terceira vez foi hoje..
Eu tive um dia péssima! Péssimo mesmo! Agressão física e o caralho... E se não fosse o Ravi...
Olha...
A terceira seria a última!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Toc toc

A depressão está aqui, batendo na minha porta. Eu sei disso, mas sigo fingindo que tô bem. Como igual um animal feroz, sinto fome o tempo todo, passei a noite em claro, encarando o teto, são meio dia e não tomei banho, escovei os dentes ou arrumei os cabelos. Não consegui ler, jogar ou ver TV...tudo me aborrece, me chateia, me cansa. O que faço é mudar de um sofá pro outro enganando a mim mesma que é só preguiça, que era melancolia pelo fim do ano, a proximidade com o 27o aniversário...
Eu vou me negando ajuda...e já já ela abre a porta.