Páginas

sábado, 21 de março de 2015

Sobre fins, finais e encerramentos.

A morte é definitiva e estraga tudo. Pois é, estraga tudo!
Em 2013 o ator Cory Monteith teve uma overdose e morreu no Canadá e levou consigo pra sempre o personagem de Glee, Finn Hudson.

 Daí Glee acabou e o Finn não estava lá no último episódio e ficou aquele vazio maldito do espaço que era dele. Jesse St James voltou e casou com a Rachel Berry, e eu gostei desse final, mas gostei porque não tinha como o fim ser Rachel e Finn, Finchel, porque a morte é definitiva e estraga a porra toda. 


Ninguém morrer só um pouquinho, ninguém morre só por 6 meses. O Cory morreu pra sempre! Nunca mais eu vou ver uma foto nova daquele sorriso torto tão perfeito e ele levou o Finn com ele e matou o shipper mais maravilhoso de todos e estragou a porra do final da série

. E eu, que nunca assisti o episódio em homenagem a ele, hoje finalmente aceitei que ele morreu mesmo, pra sempre e levou junto um monte de possibilidades. E assim foi o fim de Glee pra mim, o fechamento de um ciclo tão divertido e a certeza de que nunca mais haverá Cory Monteith.

Nenhum comentário:

Postar um comentário