Páginas

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Sem foco

Desde que iniciei o Ensaio sobre a Felicidade, meio que sem querer ou sem perceber, fui sendo direcionada para um caminho que não havia escolhido trilhar, mas como mais eu seguia nesse caminho, mais coisas maravilhosas me convidavam a seguir esse caminho e assim, eu venho fazendo. Estou estudando coisas muito interessantes aprendendo muito e resignificando muitas coisas na minha vida e na minha realidade.
E o Universo é maravilhoso, ele é brilhante e ele foi me presenteando com situações e oportunidades de enxergar na prática o que eu aprendo na teoria e testar a eficácia dessas coisas.
Ontem, como eu já havia comentado aqui, eu tive um sonho que me fez acordar mal humorada, e ao invés de agradecer por ter sido só um sonho por não pertencer a realidade, eu deixei que isso ditasse o ritmo do meu dia. E meu dia foi sendo bem horrível, mas depois de umas horas eu parei, respirei, meditei e restaurei meu equilíbrio interno. Mas, as coisas começaram a mudar e uma pessoa começou a me apresentar coisas que afetavam esse meu equilíbrio e, novamente ao invés de parar e focar minhas energias em algo que me trouxesse de volta ao equilíbrio e algo que me permitisse transformar aquilo numa oportunidade de fazer a diferença na vida de alguém (meu propósito máximo), gastei toda minha energia vital em confrontar e aí, ninguém saiu ajudado.
Eu me libertei de algo que há tempos me fazia mal, me incomodava de verdade, mas eu poderia ter saído dessa situação de maneira mais leve, eu poderia ter levada resignificância para a vida de alguém, eu poderia ter lidado com tudo de forma leve e grata. Grata por eu ter o conhecimento necessário para saber que ali há um problema e por ter meios de ajudar a resolve-lo, mas eu esqueci de observar a cena como um todo e foquei só no problema, eu esqueci de olhar a solução. Uma pena!
O resultado foi, em suma, agradável. Caiu sobre mim toda a carga pesada que era levada por um número maior de pessoas e externamente saio malvista, mas internamente não preciso carregar a carga de enganar a ninguém, por isso saio grata também por não precisar lidar com essa batalha. Usarei essa experiência como parâmetro de como não agir de hoje em diante e na próxima vez que me for possível fazer a diferença na vida de alguém, farei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário