Páginas

sábado, 26 de setembro de 2015

Insonia

Sozinhas aqui, a neblina e eu.
Observo o céu acinzentado por ela e ouço o silêncio absoluto rompido vez ou outra por um carro que passa, um cachorro que se coça ou um suspiro que escapa.
Estou pensando em tudo e em nada, minha cabeça a mil por hora tenta assimilar o que fazer e como agir, faculdade, filho e tá na hora de voltar ao mercado de trabalho, mas e os plantões obrigatórios? Como eu faço? Pra onde vou?
Em meio ao silêncio eu me perco em mim mesma, fico pensando em como mudei de opiniões nos últimos anos, e sou grata por isso. O que seria da minha evolução se permanecesse igual pra sempre? Que bom que mudei, que bom que agora enxergo coisas que antes não via. Daí bate a vontade de pedir perdão pra pessoas que julguei, e peço, em oração. 
E passa um ônibus, e lembro da colega que há um ano atrás veio aqui em casa, "me visitar" e depois disso sempre que passa por mim finge não me conhecer e fico pensando "vieram pra que?', lembro da outra que conversava com a mãe no portão e quando me viram virar a rua entrou correndo e a pergunta se repete "vieram pra que?". Foi pra me ver? Pra fofocar? Tiveram pena por que eu tinha perdido um bebê ou vieram assegurar que eu não estava louca pra contar por aí? Eu cheguei a acreditar que elas tinham sentido minha falta, como eu já senti delas, mas passou...hoje eu sei que seja lá qual foi o motivo não foi nobre.
Falta muito pro sol nascer? Tem mais ônibus passando e um passarinho cantando.
Volto a pensar na faculdade, no tanto que caminhei pra chegar até aqui, penso em desistir, em insistir, em persistir.
Talvez eu devesse ir na casa da minha mãe e pegar camomila pra fazer chá.
Ainda está escuro, tem estrelas no céu. As árvores estão paradas,  não tem vento então.
Minha barriga dói num misto de fome e cólica. Quero ficar logo menstruada pra não ter que lidar com o Chico e a roupa branquinha do plantão de segunda. Tomara que não demore...
O passarinho parou e ainda tá escuro.
Acho que vou ler...ler sempre me deixa sonolenta.
Boa noite, então ou bom dia!

Updates: *Já são 5 da manhã e o sol ainda não deu as caras, mas os passarinhos estão com a corda toda.
 *Azamiga não vieram aqui ano passado, vieram em outubro de 2013.
*Alguém já leu o post e o sol ainda não nasceu.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Gente de bem

Eu tenho pra mim que gente de bem não precisa ficar por aí anunciando que o é. Sabe?
Quando a pessoa fica alardeando que é "do bem", " sincera", "justa" tenho pra mim que é pra causar uma boa impressão e dar aquela inflada no ego.
Tenho obersrvado muito isso acontecer...gente de bem o é e pronto, sem alardes, sem plaquinhas, sem anúncios de sua bondade...

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Pensamentos e Devaneios em Vídeo



Sem maquiagem, de coque no cabelo e com o áudio levemente zoado...um post em vídeo.

sábado, 19 de setembro de 2015

"Cada um dá aquilo que tem"

"O Rouxinol e a Rosa

Era uma vez, um Rouxinol que vivia em um jardim.

No jardim havia uma casa, cuja janela se abria todas as manhãs.

Na janela, um jovem, comia pão, olhando as belezas do jardim. Sempre deixava cair farelos de pão, sobre a janela.

O Rouxinol, comia os farelos,acreditando que o jovem os deixava de propósito para ele.

Assim criou um grande afeto, pelo jovem que se importava em alimentá-lo, mesmo com migalhas.

O jovem um dia se apaixonou.

Ao se declarar a sua amada, ela disse que só aceitaria seu amor, se como prova, ele desse a ela, na manhã seguinte, uma Rosa vermelha. O jovem, percorreu todas as floriculturas da cidade, sua busca foi em vão, não encontrou nenhuma Rosa para ofertar a sua amada. Triste, desolado, o jovem foi falar com o jardineiro da casa onde vivia. O jardineiro explicou a ele, que poderia presenteá-la com Petúnias, Violetas, Cravos, menos Rosas. Elas estavam fora de época, era impossível consegui-las, naquela estação.

O Rouxinol, que escutara a conversa, ficou penalizado pela desolação do jovem, teria que fazer algo para ajudar seu amigo, a conseguir a flor.

Assim, a ave procurou o Deus dos pássaros que assim falou:

- Na verdade, você pode conseguir uma Rosa Vermelha para teu amigo, mas o sacrifício é grande, e pode custar-lhe a vida!
- Não importa respondeu a ave. O que devo fazer?
- Bem, você terá que se emaranhar em uma roseira, e ali cantar a noite toda, sem parar, o esforço é muito grande, seu peito pode não agüentar.
- Assim farei, respondeu a ave, é para a felicidade de um amigo!

Quando escureceu, o Rouxinol, se emaranhou em meio a uma roseira, que ficava frente a janela do jovem. Ali, se pôs a cantar, seu canto mais alegre, precisava caprichar na formação da flor. Um grande espinho, começou a entrar no peito do Rouxinol, quanto mais ele cantava, mais o espinho entrava em seu peito. O rouxinol não parou, continuou seu canto, pela felicidade de um amigo, um canto que simbolizava gratidão, amizade. Um canto de doação, mesmo que fosse da própria vida!

Do peito da pobre ave, começou a escorrer sangue, que foi se acumulando sobre o galho da roseira, mas ela não se deteve nem se entristeceu. Pela manhã, ao abrir a janela, o jovem se deteve diante da mais linda Rosa vermelha, formada pelo sangue da ave, nem questionou o milagre, apenas colheu a Rosa. Ao olhar o corpo inerte da pobre ave, o jovem disse:

- Que ave estúpida! Tendo tantas árvores para cantar, foi se enfiar justamente em meio a roseira que tem espinhos, pelo menos agora dormirei melhor, sem ter que escutar seu canto chato.

Moral da história:

Cada um, dá o que tem no coração, assim como, cada um recebe com o coração que tem..... "


Eu tenho sentido que uma pessoa, que era muito próxima de mim, se afastou e tem me tratado com animosidade, eu já perguntei se algo havia acontecido e a resposta foi "que nada!" e então, eu vou dar aquilo que tenho a oferecer, e deixar que ela me retribua como pode....

sábado, 5 de setembro de 2015

A luz acabou

A luz acabou, não só acabou como fez um barulhão antes e aí todas as luzes da minha casa piscaram (até as que estavam apegadas) 3 vezes e aí apagou. Só eu ouvi, nenhum movimento na casa dos meus pais ou da minha vó, eu queria ir no portão, mas tá frio e eu preferi ficar, entrei no twitter e mandei DM pra Light informando a falta de luz e agora não consigo dormir porque acordei assustada...
A luz acabou e agora vou me enroscar entre os meninos que dormem tranquilos e esperar o sono voltar...