Páginas

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Devaneios da madrugada

Não sei ficar doente, não gosto, não funciona pra mim.
Eu sou uma pessoa saudável. É assim que as coisas são.
Eu não sei fazer repouso, por exemplo. Ficar deitada é isso? Mas quem cuida de mim enquanto estou de repouso? Porque não me lembro de cuidarem de mim desde que tenho uns 12 anos.
Lembro de ter dengue, ter que ajudar numa festa do trabalho da minha mãe e ser acusada de estar com ciúmes porque estava com dor e queria ir embora.
Lembro de ter pneumonia e ter que ficar sassaricando na igreja porque minha mãe tinha que falar com fulano e ciclano e ela ficar brava porque eu só queria ir pra casa
Lembro de estar doente por mais de uma semana e não receber nenhuma ligação de gente me perguntando se eu estava melhor, gente que me ligava pra me pedir favor sempre que precisava..
Lembro de estar doente e ser perguntada em tom de deboche se eu ainda estava "cagando pelas orelhas" e de ficar triste e constrangida. Triste, porque queria cuidado, amparo, acolhimento. Não que um sintoma maldito e desagradável virasse piada para os outros.
Lembro de estar sozinha madrugada a dentro, chorando, de solidão e medo de faltar ao meu filho, escrevendo num blog todas as minhas lembranças que me levam a crer que não tenho o perfil de doente, tentando pensar com coisas boas e usar a lei da atração ao meu favor e de repente sorrir, porque o blog é meu remédio.
Um banho, quem sabe...
Ajuda a relaxar e reduzir o stress.
E daqui a pouco tudo passa e vira só mais uma dessas lembranças chatas que a gente só acessa quando a vibe tá baixa.

sábado, 21 de maio de 2016

Epifanias

Quando a gente percebe que a Lei da Atração é mais que uma forma de realizar nossos desejos, a vida fica mais fácil.
Sério!
Sentada no quarto, no meio da madrugada fui percebendo um padrão na realidade, minha é de algumas pessoas. A gente atrai aquilo no que foca nossa energia, fim!
Gaste sua energia admirando determinada pessoa e atraia pra sua vida gente igual. Basicamente, assim...

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (25/30)

25- O Teorema Katherine - John Green
O livro é bom, a história é envolvente, as notas de rodapé são interessantes. Mas, me decepcionei um pouquinho com o final. Lá pela metade do livro você meio já sabe como vai terminar e era esse não saber o final o que mais me encantava no John Green.
E eu descobri que tem mais um livro dele que eu ainda não li...oh céus.
 

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Inquieta, inconformada...e egoísta.

Eu sempre fui muito inconformada com as coisas que me desagradavam, sempre fui uma chata, digamos assim. Tenho como desejo de vida mudar pelo menos uma coisa e deixar um legado.
Sou inquieta também, me sinto meio inútil se não estiver fazendo nada, acho que por isso leio tanto, ler sossega minhas ideias...
Mas, eu também sou um tanto quanto mimada, viu? Acho que por isso gosto tanto da ideia da Lei da Atração, ela me promove a merecedora de todos os meus desejos. Mas, enfim...isso faz de mim uma baita de uma egoísta!
Veja bem, eu as vezes só preciso que as pessoas ajam dentro dos meus planos!
Poxa vida!
Eu tenho um cronograma pro meu trabalho de parto e ele envolve algumas outras pessoas, afinal eu preciso que fiquem com Ravi, no mínimo...
Daí estou me sentindo boba por esperar que ajam dentro do meu cronograma ao mesmo tempo que me sinto traída por não o fazerem...

segunda-feira, 16 de maio de 2016

101 em 1001 - 30. Ler 30 livros (24/30)

24 - Comprometida - Elizabeth Gilbert

Ao contrário do que diz a capa, não é uma história de amor. É um amontado de informações sobre casamento e divorcio floreando o fato de que ela precisou se casa pra que seu marido tirasse o visto permanente pra morar no Estados Unidos, pra mim foi uma tentativa preguiçosa de repetir o sucesso de Comer, Rezar e Amar. Não gostei mesmo.1
 

domingo, 15 de maio de 2016

Simples

Eu amo a simplicidade da vida, são nos momentos mais simples da minha vida que eu estou mais feliz.
Aquele almoço de sábado, despretensioso, feito meio assim meio por acidente, comido mais tarde...são nesses momentos que a vida parece perfeita.

É na simplicidade que habita a minha felicidade...