Páginas

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Continue a nadar...

Eu venho me esforçando pra ser sempre a melhor versão de mim mesma, um dia de cada vez, um defeito de cada vez.
Eu ainda tenho muitos defeitos de estimação, muitas mágoas que não me permitem evoluir, mas eu sigo melhorando nem que seja um pouquinho por vez.
Hoje, por exemplo, o exercício era não reclamar daquilo que não tenho controle. Obviamente que falhei.
A impressora pifou e eu reclamei um monte, quase chorei, inclusive.
Depois respirei fundo e fui fazer o que estava ao meu alcance, procurar uma nova multifuncional em conta cujo cartucho também não custasse um fígado.
Mais tarde minha mãe deu uma alfinetada, daquelas pra me diminuir com a intenção de se sentir superior e eu me ofendi, óbvio. Mas, não reclamei. Eu não posso controlar a maneira que ela se porta, mas posso controlar a forma de me sentir.
E assim a gente segue...
Quando sinto que a intenção é me ofender, me diminuir, eu faço uma prece pra pessoa e outra pra mim.
E aqui entramos no assunto, a "amyga" que tem claramente me menosprezado, tipo sempre. Quanto mais olho pra trás, mais vejo que sempre foi assim...e aí faz o que?
Ah sei lá eu!!!!
Eu sigo a tratando da melhor forma possível, sem falsidade...eu gosto mesmo dela, mas também não me rebaixo, né?
Espero que um dia ela abra o jogo, o coração e, ou encerre essa amizade ou não sinta mais a necessidade de se sentir superior.
E segue o jogo, segue o fluxo...
Nas sábias palavras de Dory "continue a nadar"

Um comentário:

  1. isso mesmo, fazendo nossa parte nos libertamos para ser feliz a despeito das atitudes dos outros!!

    bjnhos

    ResponderExcluir